Porto de Paranaguá (PR) se prepara para receber atípica movimentação de navios graneleiros

Unidade portuária estima megaexportação de soja e milho incomum neste período do ano

Porto de Paranaguá (PR) recebe do Ibama licença para dragagem
Porto de Santos (SP) responde por quase um terço do comércio internacional do País
Porto Chibatão (AM) registra alta de 7% no volume de exportações no 2º trimestre de 2015

portoparanagua

O Porto de Paranaguá (PR) deverá operar uma expressiva movimentação de navios graneleiros. Isso porque há uma previsão de disparada das exportações de milho safrinha e a venda dos estoques da soja.

A administração da unidade portuária estima que a movimentação entre agosto e outubro seja 71% superior ao do mesmo período do ano passado, atingindo 5,48 milhões de toneladas de grãos no Corredor de Exportação. Aproximadamente 80 navios graneleiros devem atracar no local.

A previsão é anormal, pois tradicionalmente, nesta época do ano, os embarques de soja começam a desacelerar, dando lugar ao milho colhido na safra de inverno. Nesse ano haverá coincidência atípica de embarques dos dois tipos de grãos.

Do total previsto, 1,792 milhão de toneladas ainda é remanescente da safra de soja, 1,595 milhão de toneladas de farelo de soja e 2,092 milhões de toneladas de milho safrinha.

A combinação das duas safras nas exportações foi provocada pela antecipação da venda do milho safrinha, que ainda está sendo colhido, e a decisão dos produtores de soja de segurar o escoamento, à espera da melhora do preço e do câmbio.

Segundo o Deral (Departamento de Economia Rural), da Secretaria estadual da Agricultura e do Abastecimento, da safra recorde de 16,9 milhões de soja que o Paraná colheu em fevereiro desse ano, 4,1 milhões de toneladas ainda não tinham sido vendidas até o fim de julho.

COMMENTS