Hidrovia Tietê-Paraná retomará navegação até fevereiro de 2016

Navegação no local foi paralisada em maio de 2014; interrupção atinge trecho entre o km 99,5 do reservatório de Três Irmãos e a eclusa de Nova Avanhandava

Tecon paraense da Santos Brasil bate recorde de movimentação durante operação de um único navio
Infraestrutura de transportes: o que esperar do segundo mandato de Dilma Rousseff?
Movimentação do setor portuário nacional cresceu 2,9% em 2013

hidrovia-tiete-parana

O Departamento Hidroviário do Estado de São Paulo foi informado pela ONS (Operador Nacional do Sistema) que serão realizadas as operações para transferência de água dos reservatórios localizados à montante de Três Irmãos e Ilha Solteira. Com isso, haverá o restabelecimento do nível necessário para retomada da navegação na hidrovia Tietê-Paraná, que está previsto para ocorrer até fevereiro de 2016.

Em maio de 2014, a navegação no local foi paralisada pela Marinha, por causa do baixo calado da hidrovia.

Esta interrupção atingiu o trecho entre o km 99,5 do reservatório de Três Irmãos e a eclusa de Nova Avanhandava. As cargas de longo percurso (soja e milho) que vêm que São Simão (GO) e de Três Lagoas (MS), com celulose e madeira, foram as que sofreram maior prejuízo.

A Tietê-Paraná conecta cinco dos maiores estados produtores de grãos, ou seja, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Paraná.

COMMENTS