Falta espaço para guardar colheita brasileira

Porto de Paranaguá (PR) atinge recorde de caminhões no Pátio de Triagem
Movimentação de soja deve registrar forte alta em fevereiro
MT apresenta atraso na exportação de soja, mas cresce faturamento

safra-graos

A produção agrícola brasileira sofre com a falta de espaços para guardar a colheita, de acordo com a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). O déficit de capacidade de armazenagem chega a 53,729 milhões de toneladas para grãos, e a previsão da safra é de 208,8 milhões de toneladas.

Hoje, o Brasil é capaz de armazenar 155,139 milhões de toneladas, a maior parte em silos privados. Já a armazenagem da rede pública chega a somente 2,3 milhões de toneladas, com silos construídos pela Companhia Brasileira de Armazenamento, que foi extinta em 1990.

Segundo o presidente da Conab, Rubens Rodrigues dos Santos, a carência real de unidades armazenadoras concentra-se nas regiões de fronteira agrícola. Maior celeiro do País, o Mato Grosso, com produção prevista de 51,203 milhões de toneladas na safra 2014/2015, tem capacidade para estocar só 32,288 milhões. Falta espaço adequado para guardar 18,814 milhões de toneladas de cereais.

Isso também ocorre na área formada por terras do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Este local, segundo a Conab, é quase totalmente desprovida de infraestrutura de armazenagem e carente de condições logísticas para escoamento da produção.

Por causa da dificuldade para guardar a colheita, nas áreas de maior aumento de produtividade, o governo instituiu, no Plano Safra 2012/2013, uma linha de crédito específica, no valor de R$ 25 bilhões, para investimento em armazenagem. Esta verba é destinada a produtores rurais, associações e cooperativas. Os financiamentos serão oferecidos até a safra 2017/2018.

COMMENTS