Falta espaço para guardar colheita brasileira

Mercedes-Benz inclui novos modelos de caminhões no Programa Mais Alimentos
Cenário insustentável para MT em 2020
VLI cria nova rota para escoamento de soja para o Porto de Itaqui (MA)

safra-graos

A produção agrícola brasileira sofre com a falta de espaços para guardar a colheita, de acordo com a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). O déficit de capacidade de armazenagem chega a 53,729 milhões de toneladas para grãos, e a previsão da safra é de 208,8 milhões de toneladas.

Hoje, o Brasil é capaz de armazenar 155,139 milhões de toneladas, a maior parte em silos privados. Já a armazenagem da rede pública chega a somente 2,3 milhões de toneladas, com silos construídos pela Companhia Brasileira de Armazenamento, que foi extinta em 1990.

Segundo o presidente da Conab, Rubens Rodrigues dos Santos, a carência real de unidades armazenadoras concentra-se nas regiões de fronteira agrícola. Maior celeiro do País, o Mato Grosso, com produção prevista de 51,203 milhões de toneladas na safra 2014/2015, tem capacidade para estocar só 32,288 milhões. Falta espaço adequado para guardar 18,814 milhões de toneladas de cereais.

Isso também ocorre na área formada por terras do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Este local, segundo a Conab, é quase totalmente desprovida de infraestrutura de armazenagem e carente de condições logísticas para escoamento da produção.

Por causa da dificuldade para guardar a colheita, nas áreas de maior aumento de produtividade, o governo instituiu, no Plano Safra 2012/2013, uma linha de crédito específica, no valor de R$ 25 bilhões, para investimento em armazenagem. Esta verba é destinada a produtores rurais, associações e cooperativas. Os financiamentos serão oferecidos até a safra 2017/2018.

COMMENTS