Anfavea aprova alta de etanol na gasolina

Anfavea aprova alta de etanol na gasolina

Apesar de não apresentar nenhum prejuízo na durabilidade de componentes de carros durante os testes, consumo de combustível aumentou até 2% em relação à gasolina com 25% de etanol

Produção de caminhões no Brasil chega a quase 30 mil unidades entre janeiro e maio
Anfavea revisa projeção anual pela segunda vez e prevê queda de 20,6% na venda de veículos
Produção e licenciamento de caminhões mostram queda em junho

gasolina-bomba-carro

O Ministério de Minas e Energia, por meio da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), anunciou que os testes com a gasolina com 27% de etanol não apontaram prejuízo na durabilidade de componentes de carros.

O procedimento adotado é um teste de longa duração feito por sete montadoras, e apenas com modelos atualmente comercializados e que rodam exclusivamente com gasolina. Nos carros avaliados, o consumo de combustível aumentou até 2% em relação à gasolina com 25% de etanol.

Três montadoras, Fiat Chrysler, General Motors/Chevrolet e Toyota, já haviam concluído os testes no fim de abril, quando a Anfavea apresentou os resultados. Já as companhias Ford, Hyundai Caoa, Honda e Volkswagen devem terminar suas avaliações até a segunda quinzena de junho.

Na ocasião, foram avaliados tópicos como dirigibilidade; partida a frio e a quente; temperatura do catalizador; emissões; consumo de combustível; durabilidade em campo; testes de bancada (com componentes que têm contato direto com o combustível).

“A Anfavea conclui, com base nos testes realizados, inclusive com veículos equipados com sistemas de injeção direta de combustível, tecnologia bastante sensível a variações na qualidade do combustível, que: nos ensaios realizados não foram encontradas evidências que impeçam o uso da gasolina com 27,5% de etanol, desde que o combustível comercializado possua as mesmas características daquele enviado pela Petrobras para estes ensaios”, diz o comunicado do ministério.

COMMENTS