Demanda de passageiros no transporte aéreo doméstico cresce 9,1% em janeiro

Demanda de passageiros no transporte aéreo doméstico cresce 9,1% em janeiro

Oferta em assentos-quilômetros oferecidos subiu 4,0% no mesmo período analisado

Nova área de desembarque do aeroporto de Porto Alegre (RS) entra em operação
Terminal de carga do Aeroporto de Recife registra recorde nas cargas de importação
Número de voos executivos triplica em aeroporto de Jundiaí (SP)

aeroporto-curitiba-dentro

No mercado aéreo doméstico, a demanda, em passageiros-quilômetros pagos transportados, registrou acréscimo de 9,1% em janeiro de 2015, comparada com o mesmo mês de 2014. Já a oferta em assentos-quilômetros oferecidos subiu 4,0% no mesmo período analisado.

A demanda doméstica já completa 16 meses consecutivos de crescimento, e alcançou o seu maior nível para um determinado mês nos últimos dez anos. Já a oferta doméstica apresentou alta pelo quinto mês consecutivo e também foi recorde para um mês nos últimos dez anos.

Entre as principais empresas aéreas brasileiras, Avianca e Gol destacaram-se com as maiores taxas de crescimento da demanda doméstica quando comparadas com o mesmo mês de 2014, da ordem de 20,6% e 12,0%, respectivamente. A Azul apresentou crescimento de 6,5% e a Tam de 5,2%.

A Gol e Tam lideraram o mercado doméstico em janeiro de 2015 com participação de 38,2% e de 36,8%, respectivamente. A Tam registrou queda de 3,6% em sua participação de mercado, enquanto a Gol apresentou aumento de 2,6% neste indicador.

A taxa de aproveitamento das aeronaves em voos domésticos operados por empresas brasileiras foi o maior já registrado para um mês nos últimos dez anos: 84,5%. O indicador registrou melhora de 4,9% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

O número de passageiros pagos transportados no mercado doméstico em janeiro de 2015 atingiu 9,3 milhões, tendo sido o maior já registrado para um mês nos últimos 10 anos, com alta de 7,3% em relação a janeiro de 2014. O número de passageiros pagos transportados no mercado doméstico vem registrando variação favorável há 16 meses, no comparativo com o mesmo mês de 2014.

Com informações da Anac

COMMENTS