Terminal de Contêineres de Paranaguá (PR) fortalece operações envolvendo modal ferroviário

12% dos volumes movimentados por mês no local chegam por meio de dois ramais ferroviários que acessam diretamente o pátio

FCA e Louis Dreyfus fecham contrato de 3 anos para transporte de grãos
Governo quer prorrogar concessão ferroviária da MRS
Ferrovia já é responsável por 30% da matriz de transportes no País

tcp-terminal-paranagua

O TCP – Terminal de Contêineres de Paranaguá (PR) está atraindo para suas operações cargas que antes não passavam pelo terminal, provenientes de exportadores do Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Isso ocorre exatamente um ano após investir no fortalecimento de operações envolvendo o modal ferroviário.

Aproximadamente 12% dos contêineres movimentados por mês pelo terminal chegam por meio de dois ramais ferroviários que acessam diretamente o pátio.

“Movimentamos em média 40 mil contêineres por mês, sendo que hoje, mais de 5 mil são movimentados via ferrovia”, afirma Luiz Antonio Alves, CEO do Terminal.

Segundo o executivo, este volume de transporte ferroviário de contêineres é o maior do País. Cargas refrigeradas (em especial, frango e bovinos), madeira e soja estão entre os setores que mais vem utilizando o modal. Até um ano atrás, o volume era de 1.600 contêineres/mês transportados via ferrovia.

“Com a criação de nossa subsidiária de logística integrada, o TCP Log, passamos a investir no modal ferroviário, para torna-lo uma alternativa efetiva e competitiva de transporte entre o produtor e o porto, assim como acontece em outros países”, explica ele.

Para isso, o TCP fez parcerias estratégicas com a Brado Logística, com armadores e com exportadores, além de investir na duplicação da linha ferroviária, em novos e modernos equipamentos (Reach Stakers, entre outros) e na melhoria da gestão operacional.

O TCP é considerado o segundo maior terminal de contêineres da América do Sul.

COMMENTS