Porto de Santos (SP) terá sistema de gerenciamento de informações do tráfego de embarcações

Composto por quatro torres de monitoramento e uma central de processamento de dados, sistema tornará mais segura a espera de navios nas áreas de fundeio

CTF Technologies vai gerenciar abastecimento da frota paulista do Grupo Noble
Gerenciamento de riscos evitou perda de R$ 26 bi em cargas roubadas entre 2005 e 2013
Divisão de andaimes da Locar tem novo gerente nacional

santos

Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo) e o Consórcio Indra VTMIS Santos assinaram no fim de outubro um contrato para implantação do Sistema de Gerenciamento de Informações do Tráfego de Embarcações ou VTMIS (sigla em inglês para Vessel Traffic Management Information System).

O VTMIS será composto por quatro torres de monitoramento e uma central de processamento e supervisão de dados. O sistema auxiliará no controle de tráfego de embarcações, tornando mais segura a espera de navios nas áreas de fundeio e mais eficiente a movimentação e atracação de embarcações no porto. Esses recursos serão integrados à gestão de segurança da Supervia Eletrônica de Dados e ISPS Code.

O contrato para a implantação do VTMIS em Santos prevê desde o fornecimento de equipamentos e software até treinamento de pessoal e obras civis. O valor do investimento é de R$ 31,07 milhões.

“A implantação do VTMIS é um marco importante no trabalho de aprimoramento da eficiência, colocando o Porto de Santos no patamar tecnológico dos mais modernos portos do mundo”, comentou o diretor-presidente da Codesp, Angelino Caputo. “Não se trata de um sistema pronto que sai da prateleira funcionando imediatamente, mas um projeto ajustado ao nosso perfil, feito sob medida e que exigirá um período de planejamento, implantação e ajustes, estimado em 44 meses”.

O consórcio fará as instalações da central e das quatro torres, que serão instaladas em pontos estratégicos do porto. A central do VTMIS terá uma antena VHF para comunicação com as embarcações e receberá dados das torres de monitoramento, de uma estação meteorológica e de um marégrafo.

A estação meteorológica servirá para monitoração de intempéries e o marégrafo, para identificar os movimentos de preamar (maré alta) e baixa-mar no canal. Assim, os operadores da central poderão estimar de forma mais precisa a profundidade de cada berço do cais e auxiliar os navios no momento da atracação.

As torres abastecerão a central com dados sobre a localização e movimentação de embarcações. Cada uma das torres terá um radar, uma câmera de alta definição e um transponder AIS.

O transponder AIS (Automatic Identification System, Sistema de Identificação Automática) instalado na torre recebe sinais enviados, obrigatoriamente, pelos navios. Com esse contato, a central visualiza a posição, a velocidade e o número de registro do navio em uma carta de navegação eletrônica exibida num monitor – seu movimento é acompanhado em tempo real. Como a maior parte dos barcos pequenos não emite sinais de transponder, a tarefa do radar será identificar estas embarcações menores.

O Centro de Operações do sistema será instalado na edificação da antiga Ponte de Inspeção Naval, na Ponta da Praia. As obras de reforma, ampliação e adequação do local ocorrerão durante a implantação do VTMIS.

COMMENTS