Fluxo de veículos nas rodovias pedagiadas sobe 1,1% em outubro

Em comparação com setembro, fluxo de veículos leves subiu 0,9% e o de veículos pesados registrou aumento de 1,1%

Setor de implementos rodoviários registra queda de 10,98% no acumulado do ano
Roubo de cargas em 2012 atingiu o maior patamar dos últimos 15 anos
Demanda por voo doméstico cai 0,42% em agosto, diz Anac

rodovia-pesagem-sc

De acordo com um balanço realizado pela ABCR (Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias) no mês de outubro houve um aumento de 1,1% no fluxo de veículos em rodovias pedagiadas na comparação com setembro.

Na comparação outubro contra setembro, o fluxo de veículos leves subiu 0,9% e o de veículos pesados registrou aumento de 1,1%.

“No caso dos veículos leves, o aumento de 0,9% está diretamente ligado ao comparativo de emprego e renda apontados pelo IBGE e Ministério do Trabalho. Mesmo com o enfraquecimento do emprego, há um movimento, ainda que gradual, de expansão dos salários”, explica Rafael Bacciotti, economista da Tendências Consultoria Integrada, empresa que auxiliou a associação na realização do estudo.

Em relação a outubro de 2013, o índice total apresentou alta de 1,6%. O fluxo de veículos leves aumentou 3,4%, enquanto o fluxo de pesados recuou 3%. Nos últimos doze meses, o fluxo total teve expansão de 2,9%. Considerando essa mesma base de comparação, o fluxo de leves registrou variação positiva, de 4,8%, e o de pesados recuou 2,2%. No acumulado do ano (janeiro a outubro de 2014 ante janeiro a outubro de 2013), o fluxo total teve expansão de 2,6%. Considerando essa mesma base de comparação, o fluxo de leves cresceu 4,6% e o de pesados continuou registrando queda de 2,7%.

“A distinção entre leves e pesados gera um resultado final positivo no indicador da ABCR. Enquanto os leves sustentam variações positivas, reflexo dos ganhos reais de renda, vemos a produção industrial caindo, como mostra, por exemplo, o setor automotivo, cuja produção de veículos vem registrando queda em vendas e exportações”, explica Bacciotti.

COMMENTS