Autoridades aeroportuárias solicitam internacionalização de voos

Comissão Nacional das Autoridades Aeroportuárias decidiu criar grupo designado a definir diretrizes para procedimento

Transporte aéreo doméstico mais do que triplicou nos últimos dez anos
Terminais aeroportuários do RS renovam licenças ambientais
Prédio da Vasp no Aeroporto de Congonhas (SP) será leiloado

aeroporto-pista-comissao

Autoridades aeroportuárias brasileiras criaram um grupo designado a definir diretrizes para a internacionalização de aeroportos no País.

Esta decisão foi tomada pela Conaero (Comissão Nacional das Autoridades Aeroportuárias) ao constatar que mesmo com cinco aeroportos pedindo internacionalização e um solicitando desinternacionalização não há nenhuma regra geral para a análise dos pedidos.

O grupo já está analisando as solicitações dos aeroportos de Sorocaba (SP), Porto Velho (RO), Rio Branco (AC), Cabo Frio (RJ) e do futuro aeroporto Catarina, em São Roque (SP).

Coordenado pela SAC (Secretaria de Aviação Civil), o grupo de trabalho é integrado pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Infraero, Ministério da Aeronáutica, Ibama, Polícia Federal, Receita Federal, Anvisa (ligada ao Ministério da Saúde) e Vigiagro (ligada e Ministério da Agricultura).

Segundo os integrantes do grupo, a situação desejada é a definição de uma política de internacionalização de aeroportos como estratégia de desenvolvimento regional e nacional, o fortalecimento das estruturas dos órgãos públicos voltadas ao apoio das operações de tráfego aéreo internacional e a manutenção do atual processo técnico para internacionalização.

Atualmente o operador aeroportuário solicita aos órgãos públicos (Receita, PF, Anvisa e Vigiagro) um atestado da capacidade de atendimento às operações de tráfego aéreo internacional. Na sequência, a Anac analisa os referidos atestados e demais documentações e, caso o operador cumpra as exigências legais, a Anac reconhece o aeroporto como internacional. Os órgãos se queixam da grande quantidade de pedidos e da insuficiência de recursos humanos e logísticos para o atendimento de todos eles.

O grupo deve se reunir novamente no dia 24 de novembro, em Brasília, para debater questões acerca do assunto.

COMMENTS