Pedágio da ponte Rio-Niterói poderá ter tarifa de R$ 5,37

Empreendimento que liga as duas cidades do Rio de Janeiro deverá ser relicitado após fim de concessão de 20 anos da empresa CCR

ANTT autoriza reajuste de tarifa na Rodovia do Aço
Prazo para adequação às novas regras do RNTRC é adiado em 45 dias
Ministério dos Transportes prorroga autorizações especiais de transporte rodoviário de passageiros

ponte-rio-niteroi

A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) abriu, no dia 10/10, audiência pública para debater o projeto de relicitação da ponte Rio-Niterói, no Rio de Janeiro.

Atualmente, a ponte é administrada pela concessionária CCR, mas a concessão de 20 anos termina no ano que vem. O novo concessionário terá agora, segundo a proposta, 30 anos de contrato.

A proposta da agência prevê tarifa de pedágio entre R$ 4,2753 e R$ 5,3722. Hoje, a tarifa é de R$ 5,20.
A diferença da cobrança se deve à possibilidade de inclusão de mais obras no contrato, que deverão ser feitas pelo vencedor do leilão. A taxa de retorno para os investidores foi fixada em 7,2% ao ano. O sistema de pedagiamento permanecerá igual: apenas uma praça de cobrança, no sentido Rio- Niterói.

O prazo para envio de sugestões sobre o projeto vai até 24 de outubro. Nesse período, também estão previstas duas reuniões para discussão dele, uma no Rio de Janeiro, no dia 15, e outra em Brasília, no dia 17 de outubro.

Exigências

A proposta da ANTT estabelece que o novo concessionário tenha que construir uma alça de ligação do sistema rodoviário à Linha Vermelha. A ideia é evitar que motoristas que se dirigem à Baixada Fluminense e à via Dutra passem pela Avenida Brasil.

Quem vencer o leilão também terá que efetuar a implantação de uma passagem subterrânea sob a praça Renascença, em Niterói.

A audiência pública vai discutir a inclusão de uma obra na Avenida Portuária, em continuidade à alça de acesso à linha vermelha, para fazer a ligação com a Avenida Brasil. E é essa inclusão que faz o preço do pedágio saltar de R$ R$ 4,2753 para R$ 5,3722.

O investimento a ser feito pelo concessionário ao longo dos 30 anos de concessão é estimado em R$ 976 milhões, sem a obra da Avenida Portuária, e R$ 1,37 bilhão, com a obra.

Com informações da Agência CNT

COMMENTS