Cidade de São Paulo testará projeto de entregas noturnas

Cidade de São Paulo testará projeto de entregas noturnas

Em caráter experimental, primeira etapa das operações será efetuada por 30 dias, das 21h às 5h

​Vendas de caminhões novos caem quase 50% em 2015 e projeção para esse ano não anima
Montadoras apresentarão cabinas de alta tecnologia na Fenatran 2011
Vipal lança banda pré-moldada para pneus de eixos de tração

entregas-noturnas-dentro

A Secretaria Municipal de Transportes deu início, nesta segunda-feira (13/10), o projeto-piloto de entrega noturna de cargas na cidade de São Paulo, mais especificamente na Zona Oeste. As operações serão efetuadas por 30 dias, das 21h às 5h.

Este procedimento que passa a ser adotado em caráter experimental tem como finalidade dar ganho de produtividade para as empresas e melhorar o trânsito da cidade.

Grandes empresas participarão da primeira fase voluntariamente: Pão de Açúcar, Lojas Americanas, Assai, O Boticário, Droga Raia, Drogasil, Coca-Cola, Renner, Camicado, Drogaria SP, Leroy Merlin, Ambev, Brasil Foods, Riachuel, Centauro, Telhanorte e Zafari.

As próximas etapas ocorrerão em dezembro de 2014 e fevereiro de 2015, e envolverá outras empresas.
Ao longo do projeto-piloto, serão avaliados tópicos como a fluidez do tráfego, emissão de poluentes, ruído, segurança e produtividade.

A área de estudo envolve as seguintes vias: Marginal Tietê, Ponte da Freguesia do Ó, Marquês de São Vicente, Pompéia, Heitor Penteado, Dr. Arnaldo, Pacaembu e Ponte da Casa Verde.

O local foi escolhido de forma técnica em conjunto entre pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo), SETCESP (Sindicato das Empresas de Transportes de São Paulo) e grandes empresas.

Este programa também envolverá a Polícia Militar e outros órgãos da Prefeitura além da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) como o Psiu (Programa de Silêncio Urbano) e subprefeituras.

“Estamos realizando este Projeto Piloto para obter dados parametrizados sobre estas operações na cidade. Neste momento, estamos apenas realizando testes, para aproveitarmos o espaço viário da cidade da melhor forma. Para se ter uma ideia, o Centro Expandido de São Paulo representa 10% da área total da cidade, concentra 15% das vias principais e recebe 59% de todas as viagens de deslocamentos. Os testes acontecerão em três fases, daqui até o início do ano que vem, e estão sendo realizados por empresas que participaram voluntariamente do projeto”, diz Fernando Haddad, prefeito de São Paulo.

COMMENTS