Aeroporto de Guarulhos (SP) passa a contar com Conhecimento Eletrônico de Carga

Aeroporto de Guarulhos (SP) passa a contar com Conhecimento Eletrônico de Carga

Novo procedimento acelera a exportação brasileira, uma vez que dispensa o uso de cópias físicas do Conhecimento Aéreo

Museu do Transporte começa a atrair investidores
Aeroporto de Araçatuba (SP) tem movimento quase 40% maior em 2012
Copa Airlines recebe a aeronave nº 100 e prepara comemoração

cumbica

A IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo) e o GRU Airport, administradora do Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP), anunciou a conclusão do projeto piloto para implantação do e-AWB (Conhecimento Eletrônico de Carga Aérea) no setor de exportação do Terminal de Cargas de Guarulhos.

O objetivo principal deste novo procedimento adotado é consolidar a substituição de documentos físicos por arquivos eletrônicos.

O sistema e-AWB faz parte de um programa global da IATA, e dará mais agilidade às exportações brasileiras, pois desobriga a tramitação de cópias físicas do Conhecimento Aéreo. Estima-se que o uso do e-AWB em todo o mundo vai eliminar mais de 7.800 toneladas de documentos de papel por ano, o equivalente a 80 cargueiros Boeing 747 cheios de papel.

“O conhecimento aéreo eletrônico e-AWB (Air Way Bill) será uma revolução, assim como foi a implantação do bilhete eletrônico (e-ticket). E vai gerar desburocratização e transparência no gerenciamento de informações. O objetivo é que, no longo prazo, possamos disponibilizar eletronicamente em tempo real todos os documentos referentes ao transporte aéreo de cargas”, afirma Carlos Ebner, diretor da IATA para o Brasil.

O projeto piloto contou com a participação das companhias aéreas American Airlines, Lufthansa e TAM Cargo, além dos agentes de carga DB Schenker e Panalpina, que, desde julho, passaram a adotar o novo sistema em suas operações, realizando diversos testes na área de exportação.

“Toda a cadeia logística no modal aéreo será beneficiada com essa iniciativa, principalmente em relação à otimização das operações e, consequentemente, à redução dos tempos de tramitação de cargas”, destaca o diretor de Operações de Cargas do GRU Airport, Marcus Santarém.

COMMENTS