Governo de SP assina contrato para construção de monotrilho que liga capital ao ABC

Linha 18-Bronze contará com 13 estações; projeção é de que sejam transportados 300 mil passageiros por dia no início das operações

Com licença do Ibama, Porto de Ilhéus (BA) sairá do papel
LLX investiu mais de R$ 1 bi no Superporto do Açu (RJ), em 2012
Nova ponte sobre o rio Araquá, em Águas de São Pedro (SP), deve ficar pronta em 80 dias

monotrilho-abc-sp

O contrato para a implantação e operação do monotrilho da linha 18-Bronze do metrô da região metropolitana de São Paulo foi assinado na última sexta-feira (22/8). O trajeto ligará a capital paulista com a região do ABC e contará com 13 estações. O início será na estação Tamanduateí, na zona sul da capital, passará por São Caetano do Sul, Santo André e terminará em São Bernardo do Campo.

A projeção é de que sejam transportados 300 mil passageiros por dia no início das operações. Além da integração com as linhas 2-Verde do metrô e 10-Turquesa da CPTM, o monotrilho será interligado com o corredor de ônibus da EMTU (Empresa Metropolitana de Transporte Urbano) e com ônibus municipais. De acordo com o governo de São Paulo, as obras deverão começar dentro de 90 dias e estão previstas para serem concluídas em quatro anos.

O custo da linha 18 está estimado em R$ 4,2 bilhões, sendo que R$ 1,9 bilhão está previsto para ser investido pelo consórcio ABC Integrado, que abrange as empresas Primav, Encalso, Cown e Benito Roggio Transportes. Os governos estadual e federal disponibilizarão o restante. A União disponibilizou R$ 400 milhões, por meio do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

“Agora, depois de assinado, é interesse do consórcio entregar o mais depressa possível. A grande dificuldade é chegar até aqui, são questões ambientais, compensações ambientais, editais, brigas jurídicas, dificuldades de financiamento. Depois de formatado tudo isso, agora é obra”, disse o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

COMMENTS