TNT Mercúrio retoma equilíbrio e registra saldo positivo após oito anos sem lucro

TNT Mercúrio retoma equilíbrio e registra saldo positivo após oito anos sem lucro

Empresa registrou R$ 453 milhões de receita no primeiro semestre do ano, alta de 13,2% sobre igual período de 2013

Scania ganha terreno no mercado com o R 440
Sinotruk confirma fábrica no Brasil e vai investir R$ 300 milhões
Brasil e México renovam acordo automotivo por mais quatro anos

tnt-mercurio-operacoes

Pela primeira vez em oito anos de atuação, a empresa de encomendas expressas TNT Mercúrio passa a registrar lucro.

No primeiro semestre de 2014, a companhia subsidiária da holandesa TNT Express registrou R$ 453 milhões de receita, alta de 13,2% sobre igual período de 2013.

Além disso, a companhia contempla o lucro líquido de R$ 1 milhão, ante um prejuízo de R$ 40 milhões, consolidado um ano atrás.

A TNT Mercúrio comemora o saldo positivo, dezoito meses após ser colocada à venda. Empresa chegava a perder R$ 5 milhões por semana com as operações.

Plano de recuperação

Para chegar a esse ponto, a transportadora iniciou um projeto de reformulação, tendo como foco reduzir a dependência da matriz holandesa no sentido de destinar recursos para a subsidiária.

Com isso, a TNT Mercúrio quebrou contrato com clientes que não geravam rentabilidade. A partir dessa nova regra, alguns contratos foram renegociados e passou a cobrar tarifas adicionais de frete em determinadas operações.

A redução de custos também foi um dos tópicos trabalhados. Uma das decisões mais drásticas foi demitir 1,3 mil colaboradores. A TNT Mercúrio conta hoje com 7 mil funcionários.

Um investimento em tecnologias de automação em 32 de suas 126 filiais também foi executado, bem como melhora do fluxo do caixa com reavaliação de prazos com fornecedores e clientes. A companhia checou os locais que demandavam maior cuidado com expansão de infraestrutura e reforçou a capacidade de suas filiais em Belém (PA), Maceió (AL), Natal (RN), Recife (PE), Uberaba (MG) e Dourados (MS).

Com informações do Brasil Econômico

COMMENTS