Três grandes consórcios disputam PPP da Tamoios

Rodovia que liga o Vale do Paraíba ao litoral norte paulista será concedida à iniciativa privada. Consórcios entregaram as propostas na manhã desta quarta (18)

Air France apresenta novas classes para voo
Costeira Transportes renova sua frota com dez novos caminhões
Impostômetro atinge a marca de R$700 bi

nova-tamois-sp99

A concessão da Nova Tamoios, via importante do Estado de São Paulo, conta com a participação de três grandes consórcios em disputa. A licitação prevê o gerenciamento de toda a rodovia durante 30 anos e sua duplicação no trecho de serra. A análise das ofertas deve terminar em agosto, quando será divulgado o consórcio vencedor.

No consórcio Via Nova Tamoios predomina a EcoRodovias (37,7%), sucedida pela Odebrecht (19,6%), Serveng (18,85%), EMS Participações (18,85%) e Infravix (5%).

O Novos Caminhos é liderado pela Galvão Engenharia (69%), seguido da Construtora Aterpa M Martins (30%) e a Toniolo Busnello (1%).

Já o consórcio Desenvolvimento Nova Tamoios tem como majoritária a J&F Investimentos (75%), e é composto também pela Concremat (10%), Strata Construções (9%), Acciona Infraestructuras (5%) e EIT Engenharia (1%).

O consócio vencedor deverá ser aquele que apresentar o menor valor de contraprestação anual, paga pelo governo do Estado e que não deve ultrapassar a soma de R$ 156,854 milhões.

Além disso, será considerado o cumprimento das determinações do edital. No caso do grupo com menor contraprestação anual não atender aos requisitos necessários, ganha o consórcio com a segunda melhor proposta.

Obra

A nova pista no trecho de serra terá aproximadamente 21 quilômetros de extensão, sendo 12,5 em túneis e 2,5 em viadutos. Estima-se que deverá custar R$ 2,9 bi dos quais o governo pagará 2,185 bi e o restante pelo consórcio vencedor.

O projeto prevê também três praças de pedágio na rodovia, duas no planalto e uma no encontro dos contornos sul e norte.

 

COMMENTS