Caem as vendas de implementos rodoviários de janeiro a maio de 2014

Segundo levantamento do IBGE, vendas são 6,92% menores que o mesmo período do ano passado

Paralisação da hidrovia Tiête-Paraná pode gerar US$ 37 milhões de prejuízo
Aeromexico se torna a primeira companhia latino-americana a disponibilizar banda larga aos passageiros
Movimentação nos portos e terminais aumenta 4,6% no 1º trimestre

implements-rodoviarios-fabr

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), as vendas de implementos rodoviários de janeiro a maio de 2014 apresentaram queda de 6,92% em relação ao mesmo intervalo de 2013.

A sucessão de números negativos aflige a indústria que não enxerga uma melhora do setor, mesmo com os incentivos dados pelo governo federal. “Os resultados que podem ser obtidos no ambiente dos atuais programas de incentivo estão chegando ao limite. E a indústria é quase em sua totalidade dependente deles”, explica o presidente da ANFIR (Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários), Alcides Braga.

A recessão é menor que a apontada pelo levantamento de janeiro a abril (recuo de 9,1%, em relação a igual período do ano passado), porém a ANFIR não interpreta isso como uma retomada do setor. “Tudo leva a crer que foi resultado da melhora no fluxo de liberações de processos de financiamento pelo BNDES, após pedido encaminhado pela própria ANFIR”, considera Mario Rinaldi, diretor Executivo da ANFIR. “Como havia um volume elevado de produtos prontos aguardando a liberação o faturamento deve ter ocorrido de forma simultânea à liberação do PAC, gerando um bom número, mas que pode ser artificial”, complementa.

Segundo o IBGE, a produção industrial do País teve queda de 0,3% em abril, em relação ao mês anterior. Março apresentou diminuição de 0,5% em comparação com fevereiro e no comparativo de abril de 2014 com abril do ano passado a recessão chega a 5,8%.

Segmentos

O segmento Pesado (reboques e semirreboques) apresentou retração de 8,82% nas vendas de janeiro a maio em relação ao mesmo período de 2013. Em valores, isso representa uma queda de 2.329 unidades vendidas, ou seja, 24.090 unidades contra as 26.419 comercializadas em igual intervalo do ano passado.

No segmento Leve (Carroceria sobre chassis), o recuo foi de 5,74% no comparativo entre os dois períodos. Isto representa queda de 2.444 unidades vendidas, ou seja, 40.103 unidades contra as 42.547 comercializadas no mesmo intervalo do ano anterior.

COMMENTS