Porto de Paranaguá (PR) passa a usar novo sistema para monitorar caminhões de fertilizantes

Ferramenta está sendo instalada em cerca de 500 caminhões da cooperativa que realiza o transporte do produto do cais até os armazéns da retaguarda

Conferência das cargas de fertilizantes no Porto de Paranaguá (PR) passa a ser informatizada
Portos paranaenses criam projeto para aproximação com agricultores
Porto de Paranaguá (PR) receberá R$ 394 milhões para realização de novas obras de dragagem

paranagua-filas-porto

A Appa (Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina) concluiu no fim do mês de abril os últimos detalhes para a implantação de um sistema de monitoramento de caminhões de fertilizantes.

A ideia é possibilitar a organização do fluxo dos veículos, reduzindo o impacto na mobilidade cidade. Primeiramente, o RFID (Radio-Frequency IDentification) está sendo instalado em aproximadamente 500 caminhões da cooperativa que faz o transporte do produto do cais até os armazéns da retaguarda.

“O Porto tem um alto grau de informatização. Está muito bem organizado e é isso que nos permite utilizar esses componentes de automação, que trazem inúmeros benefícios, principalmente diminuir o ciclo do tempo da descarga, aumentar o número de viagens do caminhão e aumentar o controle e a confiabilidade dessa cadeia. Já terminamos o mapeamento desse fluxo, já fizemos reuniões com o Porto, com os terminais e cooperativas. Agora, é só implantar”, disse o professor doutor Caio Fernando Fontana, do Instituto do Mar, da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), responsável pela implementação.

Agora, os caminhões serão localizados por meio de etiquetas colocadas no para-brisa, e antenas serão instaladas no acesso ao cais, nos funis, na saída do cais e nos armazéns da retaguarda, que recebem esse fertilizante. A Appa conseguirá ter o posicionamento exato dos veículos, reduzindo o tempo perdido nos casos de erro e outros transtornos, inclusive fiscais.

O Sistema funciona sem bateria e tem duração de até sete anos. A localização, em cada ponto, é possível a uma distância de até 12 metros. Ou seja, a essa distância será possível, em caso de erro, reposicionar o caminhão que vai buscar o fertilizante que está sendo descarregado ao navio certo, funil exato e terminal agendado.

COMMENTS