MAN Latin America aprimora logística com tecnologia de separação de peças por comando de voz

Novo sistema entra em operação na fábrica de Resende (RJ) a partir de maio; foi investido R$ 1,2 milhão na aplicação

Iveco amplia rede de concessionárias com unidade em Marialva (PR)
Produção de caminhões recua, mas ainda sobe 12,8% até setembro
Sistema de rastreamento auxilia em operação contra roubo de cargas no RS

man-tecnologia-logistica

A montadora de caminhões e ônibus MAN Latin America está aprimorando seu processo de produção com comandos por voz. As mais de 70 mil peças manuseadas diariamente na fábrica de Resende (RJ) agora chegarão à linha de montagem por meio desta tecnologia.

A companhia investiu R$ 1,2 milhão na aplicação. O novo sistema entra em operação a partir de maio e tem como principais benefícios maior assertividade no envio das peças para a linha de montagem, ganho de produtividade e diminuição nos custos.

Segundo a MAN, técnica permite ao colaborador responsável pela separação de peças utilizar somente um fone de ouvido, que é acionado por uma senha pessoal. Automaticamente, o sistema identifica onde foi finalizada a última atividade e começa a informar a continuidade dos pedidos.

“A logística vem evoluindo e obtendo cada vez mais um papel de extrema estratégia para as empresas. Com esta nova tecnologia por comando de voz teremos resultados muito mais assertivos e rápidos para atender nossa demanda, além de aumentar a produtividade na esfera logística. Este conceito não se aplica apenas na separação de peças. Ela pode ser utilizada em todo fluxo logístico e até junto a outros sistemas”, diz Adilson Dezoto, vice-presidente de Produção e Logística da MAN Latin America.

Antes de entrar em ação, os mais de 100 colaboradores das áreas operacional e administrativa envolvidos nesta atividade, passaram por treinamentos e workshops com a empresa responsável pela tecnologia.

“Nosso objetivo é garantir a máxima performance da cadeia logística, por isso todos devem conhecer a ferramenta. Além disso, teremos ganhos significativos de inventário, pois o sistema nos permitirá ter maior controle das peças estocadas”, complementa o executivo.

COMMENTS