Centro Logístico de Cascavel (PR), da Ferroeste, terá dois novos silos graneleiros

Unidades serão construídas pelo pool de cooperativas do oeste paranaense Cotriguaçu; após construção, terminal poderá estocar mais de 240 mil toneladas grãos ou de insumos

Movimentação de cargas por ferrovia para Porto de Santos (SP) cresce 42% em seis anos
Brado Logística espera crescer 60% com operações no corredor Mato Grosso-Santos
Transporte ferroviário de cargas pode crescer 12,5% em dois anos

ferroeste-silos-construcao

O Centro Logístico da companhia ferroviária Ferroeste, em Cascavel (PR), terá dois novos silos graneleiros, que estão sendo construídos pela Cotriguaçu, que é um grupo de cooperativas do oeste paranaense.

Ao todo, serão investidos R$ 39,4 milhões (verba que conta com financiamento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul) na ampliação da capacidade de armazenagem na área perto do terminal ferroviário. O terminal poderá estocar mais de 240 mil toneladas grãos ou de insumos.

“É o setor privado acreditando no potencial da Ferroeste e, em especial, nos investimentos em infraestrutura do governo estadual. Atualmente o Paraná já contabiliza mais de R$ 29 bilhões em investimentos privados que estão sendo aplicados no Estado”, disse o secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho.

Com a construção dos dois novos silos, o Centro Logístico da Ferroeste vai ampliar em 60% a capacidade de armazenagem de soja, milho e farelos de soja e de insumos agrícolas, como fertilizantes.

Além dos dois silos graneleiro, o projeto Terminal da Cotriguaçu envolve uma central de armazenagem frigorificada. Uma câmara, com capacidade para 10 mil toneladas, já está em operação. A previsão da central que reúne a Coopavel, C. Vale, Copacol e a Lar é de transportar, este ano, 800 contêineres frigorificados por mês.

A produção das cooperativas é destinada à exportação pelo Porto de Paranaguá, em operações realizadas em parceria com as empresas Brado e Ferroeste.

A Cotriguaçu prevê, ainda, a implantação de uma segunda câmara frigorificada, totalizando 22 mil toneladas de capacidade para congelados. O valor nas duas câmaras é de R$ 34,2 milhões.

Com informações da Agência Paraná de Notícias

COMMENTS