Scuderia Iveco vence Fórmula Truck 2013

Scuderia Iveco vence Fórmula Truck 2013

Etapa de Brasília (DF) definiu Beto Monteiro como o campeão brasileiro e sul-americano; da mesma equipe, Valmir Hisgué Benavides conquistou o primeiro lugar no pódio da última corrida do ano

Emplacamento de veículos no Brasil cai mais de 25% em abril
Ouro Verde adquire 80 caminhões Mercedes-Benz ao longo do 1º semestre
Novo caminhão gigante da Volvo CE chega à América Latina

formula-truck-brasilia

O campeão brasileiro da edição de 2013 da Fórmula Truck não precisou estar neste domingo (8/12), no pódio do Autódromo Internacional Nelson Piquet, para levar o título. O pernambucano Beto Monteiro, da Scuderia Iveco, terminou a última etapa realizada em Brasília (DF) na quarta posição e mesmo assim conquistou o campeonato. Da mesma equipe, o piloto Valmir Hisgué Benavides foi o melhor dos 25 participantes e levou a quadriculada da vitória do GP.

Monteiro largou do fim do grid e ainda precisou passar pelos boxes por excesso de velocidade no ponto do circuito onde o radar limita a velocidade dos caminhões a 160 km/h. Já a partir da segunda metade da corrida, o campeão realizou muitas ultrapassagens e contou também com o abandono de Regis Boessio, Felipe Giaffone e, já no fim da corrida, de Leandro Totti.

Com o título, o piloto da Scuderia Iveco repete o feito de Leandro Totti ao levar não só o título sul-americano da Fórmula Truck como também o brasileiro. O piloto da RM Competições-MAN Latin America ficou desta vez com o vice. Regis Boessio terminou o ano em terceiro lugar e Felipe Giaffone foi o quarto.

A corrida

A largada foi autorizada com Paulo Salustiano, o pole position, mantendo a liderança seguido por Leandro Totti, André Marques, Valmir Hisgué Benavides, Diogo Pachenki e Roberval Andrade. Regis Boessio largou bem e passou em sétimo ao fim da primeira volta. Vindos do fim do pelotão, Felipe Giaffone e Beto Monteiro passaram, respectivamente, em décimo-terceiro e décimo-sétimo.

O caminhão de Salustiano não resistiu e o piloto deixou a disputa na terceira volta. Totti herdou a dianteira, com Hisgué em segundo. Com os problemas enfrentados por Pachenki e André Marques, Boessio chegou a quarto.

Ainda no início, um incidente envolvendo quatro pilotos levou à entrada do Pace Truck. Raijan Mascarello saiu fora da pista com seu Ford na curva um, batendo na barreira de proteção. Jansen Bueno, Pedro Muffato e Ronaldo Kastropil também tiveram problemas. Bueno abandonou e os outros dois pilotos seguiram em frente. Nessa altura da corrida, Giaffone vinha em nono e Monteiro em décimo-primeiro.

Na relargada após a neutralização, Totti se impôs enquanto Hisgué pressionava na busca pela liderança, com Roberval Andrade em terceiro e Regis Boessio em quarto. Felipe Giaffone pulou logo para sétimo e Beto Monteiro passou aperto quando acabou punido por excesso de velocidade no ponto de localização do radar. Com a passagem pelos boxes, o piloto da Scuderia Iveco baixou para décimo-oitavo.

Pouco depois, foi a vez de Regis Boessio também ser punido por excesso de velocidade no radar, momentos antes da neutralização programada. Os pontos foram ganhos, respectivamente, por Leandro Totti, Valmir Hisgué Benavides, Roberval Andrade, Felipe Giaffone e Wellington Cirino.

Após nova relargada, Felipe Giaffone avançou para terceiro com seu novo MAN TGX, enquanto Beto Monteiro vinha para décimo-terceiro e Boessio era o décimo-quarto. Na volta 12, o gaúcho deixou a corrida, limitando a disputa pelo título a três pilotos. Com o resultado daquele momento, Totti era o campeão.

Ao mesmo tempo em que Beto Monteiro começava a ganhar uma posição atrás da outra, superando, entre outros, João Maistro e Alberto Catucci, Felipe Giaffone também deixava a prova, o que provocou a partir daí um duelo entre Totti e o pernambucano pelo título. Monteiro teve alguma dificuldade em disputa com Adalberto Jardim, companheiro de equipe de Leandro Totti, mas levou a melhor e foi para sétimo.

Enquanto Beto continuava sua escalada rumo aos cinco primeiros postos, Hisgué e Leandro Totti protagonizaram uma disputa pela liderança. Durante mais de uma volta, os dois percorreram o circuito lado a lado, dividindo retas e curvas do Autódromo Internacional Nelson Piquet. Já na 20ª volta, Hisgué levou a melhor sobre o rival e assumiu a liderança, levando o troco logo na passagem seguinte, quando Beto Monteiro já era o quarto colocado após o abandono de Wellington Cirino.

O Pace Truck voltou a tomar frente do pelotão quando Geraldo Piquet saiu da pista, o que favoreceu Beto Monteiro, que já não estava tão distante assim de Leandro Totti. Mas não foi necessário galgar mais posições, pois na penúltima volta, o caminhão do campeão da Fórmula Truck em 2012 também ficou para trás.

A Scuderia Iveco comemorou antes mesmo da quadriculada a conquista de Beto Monteiro, que ainda tirou o pé na volta final para permitir a Djalma Fogaça terminar entre os três primeiros colocados.

Valmir Benavides recebeu a quadriculada da vitória com 5s664 de vantagem para Roberval Andrade. Fogaça, Monteiro e Pedro Muffato completaram os cinco primeiros que subiram ao pódio.

formula-truck-brasilia2

O resultado final do GP foi o seguinte:

1º) Valmir Benavides (SP/Iveco), Scuderia Iveco, 1h00min10s726

2º) Roberval Andrade (SP/Scania), Ticket Car Corinthians Motorsport, a 5s664

3º) Djalma Fogaça (SP/Ford), 72 Sports/Ford Racing Trucks, a 10s075

4º) Beto Monteiro (PE/Iveco), Scuderia Iveco, a 13s064

5º) Pedro Muffato (PR/Scania), Muffatão, a 19s284

6º) Edu Piano (SP/Ford), Território Motorsport, a 20s613

7º) Alberto Catucci (SP/Volvo), ABF/Volvo, a 26s395

8º) Ronaldo Kastropil (SP/Scania), Ticket Car Corinthians Motorsport, a 1 volta

9º) Leandro Totti (PR/Volkswagen), RM Competições-MAN Latin America, a 2 voltas

10º) João Marcos Maistro (PR/Volvo), Clay Truck Racing, a 2 voltas NÃO COMPLETARAM Geraldo Piquet (DF/Mercedes-Benz), ABF Santos, a 10 voltas Adalberto Jardim (SP/Volkswagen), RM Competições-MAN Latin America, a 10 voltas Wellington Cirino (PR/Mercedes-Benz), ABF Santos, a 12 voltas Felipe Giaffone (SP/MAN), RM Competições-MAN Latin America, a 15 voltas Luiz Lopes (SP/Iveco), Lucar Motorsports, a 15 voltas Zé Maria Reis (GO/Scania), Original Reis Competições, a 18 voltas Régis Boessio (RS/Mercedes-Benz), ABF Desenvolvimento Team, a 19 voltas Débora Rodrigues (SP/Volkswagen), RM Competições-MAN Latin America, a 19 voltas

Alex Caffi (ITA/Iveco), Dakarmotors, a 22 voltas Leandro Reis (GO/Scania), Original Reis Competições, a 27 voltas Diogo Pachenki (PR/Mercedes-Benz), ABF Racing Team, a 28 voltas Raijan Mascarello (MT/Ford), 72 Sports/Ford Racing Trucks, a 28 voltas Jansen Bueno (PR/Volvo), DB Motorsport, a 28 voltas André Marques (SP/Volkswagen), RM Competições-MAN Latin America, a 28 voltas Paulo Salustiano (SP/Mercedes-Benz), ABF Racing Team, a 29 voltas

COMMENTS