Ex-piloto de F1 investe no treinamento de caminhoneiros em simuladores

Ex-piloto de F1 investe no treinamento de caminhoneiros em simuladores

Luciano Burti traz ao Brasil a solução que poderá auxiliar empresas a qualificar profissionais do transporte de cargas e passageiros com equipamento virtual e cursos práticos e teóricos voltado ao aprimoramento técnico. Diferencial do equipamento da Navig é sua mobilidade

Há 59 anos: o primeiro caminhão Scania nacional
Mercedes-Benz investe em modelo híbrido para a distribuição urbana na Europa
Portal Transporta Brasil parabeniza as mães do transporte rodoviário

unidade-navig-movel

Visando ao aprimoramento da mão de obra do segmento de transporte rodoviário, a empresa Navig ingressa ao mercado brasileiro de treinamento e reciclagem para motoristas de caminhões e ônibus. A companhia oferece cursos por meio de simuladores, utilizando tecnologia similar às aplicadas em treinamentos aéreos.

Luciano Burti, piloto de automobilismo, comentarista e dono da nova empresa enxergou a grande necessidade de maior oferta de mão de obra qualificada para o transporte rodoviário como oportunidade para fomentar o projeto dos simuladores.

“Em muitas empresas, parte significativa da frota fica parada justamente por falta de motoristas, e isso é um desafio que encaramos. Aliás, o gasto excessivo com combustível por parte das empresas de transporte também é algo que pesa muito na necessidade de reciclar um determinado motorista, isso pesa muito custo geral da transportadora”, explica Burti. “Enxergo que, ao detectar esses problemas, a indústria reage e evolui de certa forma para solucioná-los com novas tecnologias, por outro lado, o lado humano ficou para trás no segmento aqui no nosso País, ou seja, encontramos muitos motoristas sem treinamento, desqualificados, mas que com uma direção adequada podem render muito mais em questão de desempenho, economia e segurança nas estradas”.

O equipamento funciona dentro de um escritório móvel, e pode ser transportado de caminhão. “Esse é um dos principais diferenciais da Navig, já que a unidade móvel de treinamento irá até o cliente e ficará à sua disposição o tempo necessário”.

Além de oferecer a unidade móvel com o simulador, a empresa disponibiliza ao cliente dois instrutores que cuidarão do treinamento teórico e prático dos motoristas. No fim do curso, há mensuração de resultados.

“Nos meses seguintes ao treinamento, acompanharemos o resultado desses motoristas em seu dia a dia e ele receberá o Certificado de Qualificação da Navig, caso atinja os resultados de acordo com o curso que foi ministrado”, diz Burti.

Produzido pela Virage Simulation, empresa canadense que utiliza em seu processo de desenvolvimento o mesmo conceito de simulação aérea, o simulador dispõe de diversos módulos de treinamento. O principal tópico oferecido é o curso de direção econômica, que leva o motorista a economizar combustível durante o trajeto.

“Após preparar-se com esse módulo, o motorista é capaz de diminuir em 10% a média de consumo de combustível. Em alguns casos chega a 15%, conta Burti. Outro foco do curso é direção defensiva. Segundo Burti, o simulador também poderá ser utilizado como uma ferramenta para avaliação de motoristas em processos seletivos.

O conteúdo teórico e prático do curso foi desenvolvido em parceria com o CFTC (sigla em francês que significa Centro de Formação de Transporte de Charlesburg), um centro de treinamento para caminhoneiros baseado em Quebec, no Canadá, que conta com mais de 120 caminhões próprios, 20 cursos, sendo a maioria deles associados ao uso de simuladores.

Por enquanto, a empresa possui duas unidades para motoristas de caminhões pesados e ônibus, além de outra para treinamento de motoristas de carros e VUC (Veículo Urbano de Carga). A capacidade atual permite que até 90 motoristas possam utilizar o simulador diariamente.

Um dos simuladores para caminhões pesados já está sendo testado em São Paulo pela transportadora de encomenda expressas Braspress. A Navig está desenvolvendo em parceria com a Braspress um laboratório de treinamento antes de disponibilizar o serviço ao mercado.

“O fato de o simulador vir até a empresa diminui o ônus que teríamos com o deslocamento do profissional”, comenta Urubatan Helou Júnior, controller de Frota da Braspress, transportadora que realizou treinamentos com a Navig.

COMMENTS