33º Leilão de Biodiesel ANP termina com mais de R$ 1 bi em negociações

Cerca de 502 milhões de litros de biodiesel foram comprados pelas distribuidoras de combustíveis

Logística ruim pode deixar algumas regiões sem gasolina no final do ano
Diesel menos poluente passa a ser obrigatório em todo o País
Biodiesel: uma guerra pela quantidade da mistura

diesel-s500

Mais de R$ 1 bilhão foi negociado no 33º Leilão de Biodiesel da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), realizado nos dias 4 e 5 deste mês de outubro. Na ocasião, mais de 502 milhões de litros de biodiesel foram comprados pelas distribuidoras de combustíveis. Produto negociado fará parte do diesel B (mistura de 95% de diesel A e 5% de biodiesel) a ser consumido em todo o território nacional entre novembro e dezembro.

O Sul foi a região que mais vendeu biodiesel nesse leilão: 42% do total negociado (218,7 milhões de litros). Em seguida, vieram as regiões Centro-Oeste, com 39% (205,6 milhões de litros) e Sudeste, com 10% (49,7 milhões de litros). Quando consideradas as vendas estaduais, o Rio Grande do Sul manteve-se na liderança, com 147,1 milhões de litros, seguido por Goiás e Mato Grosso (com 93,9 e 76,4 milhões de litros, respectivamente).

O preço médio do 33º Leilão foi de R$ 1,94/litro na usina, o que significa uma alta de 4,5% em relação aos preços médios praticados entre setembro e outubro (período referente ao 32º Leilão de Biodiesel ANP).

Participaram da disputa 43 usinas de biodiesel, das quais 40 tiveram seu produto arrematado pelas distribuidoras. Ao todo, foram ofertados 739,4 milhões de litros de biodiesel. Destes, 521,5 milhões de litros foram adquiridos. O leilão terminou com a aquisição de 70,5% do volume total ofertado.

COMMENTS