Boeing deve cooperar com o Brasil para elaboração de biocombustíveis

Outros potenciais projetos bilaterais foram destacados ao longo da 3ª Conferência Brasil-EUA, no Rio de Janeiro

Embraer encerra 3º trimestre com 51 aeronaves entregues
Infraero reinicia obras de recuperação da pista do aeroporto de Rio Branco (AC)
American Airlines moderniza cabines do Boeing 777-200

Boeing 747-8 VIP

Um consórcio com a fabricante de aeronaves Boeing para o desenvolvimento de modelos de negócios e tecnologias em biocombustíveis para aviação foi uma das prováveis parcerias apontadas ao longo da 3ª Conferência de Inovação Brasil-EUA, que foi realizada nos dias 11 e 12/9, no Rio de Janeiro (RJ).

O evento contou com a participação do vice-presidente do centro de Pesquisa e Tecnologia da Boeing no Brasil, Al Bryant, e de dezenas de outros executivos de empresas, universidades e poder público dos dois países.

Desde 2011, a Boeing , a fabricante de aviões Embraer e a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) têm um acordo de colaboração em pesquisa e desenvolvimento de biocombustíveis para aviação. Em março do ano passado, a Boeing, a Airbus e a Embraer assinaram um memorando de entendimento para trabalhar em conjunto nesse mote.

O intuito do acordo é estimular uma indústria de produção e distribuição de combustível de aviação bioderivado, sustentável e economicamente viável.

COMMENTS