Verificação de contêiner no Porto Chibatão (AM) passará a ser realizada em 20 segundos

Companhia investiu cerca de R$ 5 milhões em scanner gigante; atualmente, procedimento leva cerca de três dias para ser efetuado

Polo Industrial de Manaus (AM) adquire novo scanner para liberação de cargas
Terminal de Chibatão (AM) expande frota portuária com 309 novos veículos em seis meses
Porto de Chibatão (AM) reduz tempo de movimentação de contêiner em 54%

scanner-chibatao-porto

O primeiro scanner de contêineres da Região Norte do País será implantado nas operações do Porto Chibatão, situado na zona Sul de Manaus (AM). Com ele, o tempo de verificação e fiscalização do conteúdo de um contêiner no termina l cairá de três dias para vinte segundos Cerca de R$ 5 milhões foram investidos pela companhia na aquisição do equipamento e construção da estrutura.

Com o término dos testes e treinamentos dos profissionais da empresa e dos fiscais da Receita Federal que irão manusear a nova tecnologia, a previsão do Grupo Chibatão é que 5,2 mil contêineres passem em média, por mês, pelo Raio–X de cinco metros de altura e 11,5 metros de comprimento.

Na prática, a partir de agora as cargas irão passar pelo scanner sobre as carretas em uma velocidade máxima de 10 km/h. Imediatamente, as imagens são processadas e surgem nas telas de controle do próprio equipamento operadas pelos técnicos do porto.

Via sistema online, as imagens também serão transmitidas simultaneamente para os monitores nos escritórios da Receita Federal situados no próprio terminal alfandegado, onde os fiscais da autarquia irão verificar e comparar as informações fornecidas pelas empresas importadoras/exportadoras em suas guias e documentos em comparação com as imagens geradas em cada contêiner.

“Além de oferecer mais u m serviço exclusivo para nossos clientes, parceiros e armadores, a curto, médio e longo prazo o scanner trará muitos ganhos para a economia do Amazonas, uma vez que os processos produtivos do Porto Chibatão terão um ritmo mais acelerado e inédito na história industrial do Estado, aliados a mais segurança e qualidade na parte logística”, avalia o gestor do terminal portuário, Jhony Fidelis.

COMMENTS