Comissão aprova proposta que permite que motorista dirija por seis horas

Comissão aprova proposta que permite que motorista dirija por seis horas

Relatório do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC) muda a legislação vigente, que obriga o motorista a fazer uma parada de pelo menos meia hora a cada quatro horas na direção

Bloquear vias públicas indevidamente será passível de detenção
Câmara invalida multas aplicadas por equipamento em desacordo com as regras do Contran
Comissão da Câmara aprova renovação da CNH gratuita para idosos e deficientes físicos com baixa renda

MG-050-rodovia

A Comissão especial que está analisando alterações na Lei do Motorista aprovou, nesta quarta-feira (3/7), o relatório do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC).

O documento permite que o motorista possa dirigir por até seis horas consecutivas. Pela legislação vigente o motorista é obrigado a fazer uma parada de pelo menos meia hora a cada quatro horas na direção.

Segundo Valdir Colatto a alteração flexibilizará o trabalho do motorista que às vezes é obrigado a parar em locais sem infraestrutura somente para cumprir a lei.

“Não adianta voc ê querer aplicar uma regra no Brasil para uma condição da Suíça, nós temos que aplicar dentro da nossa realidade e foi isso que nós buscamos ouvindo o setor”, afirmou. Segundo ele, a proposta apresentada por ele é viável “tanto quem paga a conta como o motorista profissional”.

O deputado Hugo Leal (PSC-RJ) criticou o relatório que, segundo ele, extrapolou o objetivo da comissão especial, que era somente alterar a lei 12.619. Segundo ele, foram alterados temas que estão regidos por outra legislação.

“Esqueceram de discutir a questão do profissional, do motorista. Aqui o maior benefício que foi trazido ao motorista foi dizer que a sua jornada vai ser maior”, reclamou.

Leal avalia a decisão como um desrespeito ao profissional. “É impressionante que se crie uma comissão para dizer que o único benefício que será concedido ao motorista é ele vai poder dirigir 6h, até 14h por dia”, disse.

O relatório aprovado na Comissão Especial é um anteprojeto. A redação final do relatório será apresentada como projeto de lei nos próximos dias e vai passar pela tramitação normal das comissões na Câmara.

Com informações da Agência Câmara

COMMENTS