Aeroportuários anunciam greve nacional

Aeroportuários anunciam greve nacional

Trabalhadores cruzarão os braços a partir desta quarta-feira (31/7); sindicato prevê adesão de 70% da categoria

Terminal de cargas terá inauguração oficial
Governo de Minas inicia obras de reforma em aeroportos de Januária e Pirapora
Modern Logistics fecha contrato de abastecimento com a BR Aviation e AirBP

aeroporto-guarulhos

O Sina (Sindicato Nacional dos Aeroportuários) informou que os trabalhadores da categoria entrarão em greve em todo o País a partir desta quarta-feira (31/7). De acordo com o comunicado que foi entregue aos passageiros nos aeroportos, o motivo da paralisação é a busca por “melhores condições para a categoria e o serviço aeroportuário público de qualidade para o Brasil”.

São estimados 13 mil trabalhadores aeroportuários em todo o Brasil. Para o sindicato, mais de 70% da categoria deverá aderir à greve, que é por tempo indeterminado.

“A proposta do sindicato é parar todos os setores dos aeroportos. O transtorno é o atraso e até o cancelamento de voos, mas a população precisa entender que o pleito é em defesa da sociedade, pois funcionários estão com salários atrasados, houve redução de benefícios. Isso é uma agressão ao trabalhador, que é um ente da sociedade”, afirmou o diretor do Sina, Samuel Santos.

Os aeroportuários enviaram 106 cláusulas à Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), que apresentou sua contraproposta em reunião ocorrida no dias 25 e 26/7. A categoria não aceitou as condições da empresa, alegando que a data base era o dia 1º de maio e que o texto propõe redução de custos e de benefícios.

Segundo o Sindicato, as principais reivindicações são por correção salarial, adicional por tempo de serviço, participação nos lucros, dentre outros.

Em nota, a Infraero se manifestou alegando que os salários dos empregados estão em dia e que ainda negocia com o sindicato para se chegar a um acordo coletivo que atenda aos interesses do corpo funcional e da empresa.

Além disso, a Infraero afirmou ter um plano de contingenciamento, a fim de que não haja impacto na operacionalidade dos aeroportos. “Esse plano inclui o remanejamento de empregados, tanto do quadro administrativo como do de escala, de forma a reforçar as equipes nos horários de maior movimento de passageiros e aeronaves, envolvendo ainda os demais agentes que atuam nos aeroportos”.

COMMENTS