MTO investirá cerca de R$ 330 milhões até 2020 para movimentar carga entre São Paulo e Rio de Janeiro

Empresa recém-criada prevê construção de terminais multimodais nos municípios de Mogi das Cruzes (SP) e Queimados (RJ); transporte das mercadorias será feito por meio da malha férrea da concessionária MRS Logística

Terminal de cargas do aeroporto de Maceió (AL) passa a operar 24h
Início de dezembro trará marca histórica de movimentação de pacotes pela FedEx
Polícia inaugura posto especializado no atendimento a vítimas de roubo de cargas no 90º DP de São Paulo

linha_ferrea

A MTO, nova empresa controlada pela GranEnergia (holding de logística e óleo & gás do grupo GranInvestimentos), anunciou uma nova solução logística multimodal para ligar São Paulo a Rio de Janeiro. O transporte das mercadorias será feito por meio de em trens expressos e diários, utilizando 400 quilômetros de ferrovia da concessionária MRS Logística, a qual é responsável pela linha que opera entre os dois Estados. O serviço de coleta e distribuição nos clientes será realizado com veículos adaptados às restrições de circulação das grandes cidades.

Para realizar o projeto, a empresa investirá cerca de R$ 330 milhões até 2020. Estão previstas as construções de terminais multimodais no município de Mogi das Cruzes (SP), de 400 mil m², e em Queimados (RJ), com 300 mil m². Ambas as unidades oferecerão também serviços de armazenagem e serão instaladas estrategicamente próximas ao Rodoanel, em São Paulo, e ao Arco Metropolitano, no Rio de Janeiro. As operações da MTO estão previstas para começar no primeiro trimestre de 2015.

“Esse é o primeiro passo da GranEnergia no setor de logística, um investimento alinhado com a agenda estratégica do País”, afirma Miguel Gradin, presidente da GranEnergia. “O Brasil ainda não explora adequadamente a sua capacidade de logística multimodal e os investimentos da GranEnergia caminham para aproveitar esse espaço”, completa Gradin.

“No Brasil, 60% do transporte de cargas são feitos por rodovias, enquanto nos Estados Unidos esse número é de 29%, com uma melhor distribuição entre os diferentes modais. Nós estamos em um momento de crescimento econômico e nossas rodovias já estão saturadas”, diz André Chiarini, sócio-fundador da Infra Participações e presidente da MTO.

COMMENTS