Correios querem abrir 105 vagas de trabalho para detentos

Número foi informado em ofício encaminhado pela empresa ao Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas do Conselho Nacional de Justiça

CNJ desmonta mais três aviões-sucata da Varig no RJ
Aéreas são convocadas pelo CNJ para ações durante a Copa 2014 e das Confederações
Boeing 737 da Vasp será leiloado em fevereiro

correios

A ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) quer inaugurar ainda este ano 105 oportunida des de emprego para egressos do sistema prisional. O número foi informado em ofício encaminhado pela empresa ao DMF (Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas) do CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

Com isso, serão beneficiados os presos assistidos pelo Programa Começar de Novo, iniciativa criada pelo CNJ em 2010 e que a visa à ressocialização de detentos, com a inserção deles no mercado de trabalho.

O ofício foi uma réplica a outro enviado à companhia pelo juiz auxiliar da Presidência do CNJ e coordenador do DMF, Luciano Losekann. No documento, o magistrado solicitava dados sobre a conjuntura do Termo de Cooperação Técnica 19, firmado pela ECT e o Conselho em novembro de 2012. Pelo acordo, a ECT havia prometido a habilitar e contratar um total de 800 detentos do regime semiaberto e aberto para trabalhar em suas unidades administrativas existentes no Brasil.

No ofício, consta a seguinte explicação: “Esclarecemos que os Correios iniciaram as tratativas para a assinatura de termo de cooperação com o Ministério da Justiça a fim de obter vagas oferecidas pelo Pronatec – Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, para os participantes do Começar de Novo nos Correios. A previsão é que em 2013 sejam inseridos 105 apenados no novo modelo, com capacitação nos cursos profissionalizantes”.

COMMENTS