Comitê estudará soluções para acelerar o escoamento da safra de grãos

Grupo composto por agências reguladoras, governo e iniciativa privada vão estudar prioridades de investimento e mudança no procedimento logístico

SAMA processa mais de 350 autorizações na cabotagem no primeiro mês, diz Antaq
Petrobras vai construir terminal portuário no Espírito Santo
Governo federal negocia autorizações de 12 terminais portuários privados

safra-graos

Por meio de portaria interministerial, foi criado nesta terça-feira (23/4) um grupo que terá como finalidade estudar soluções para gargalos no escoamento da safra de grãos. O comitê é composto por representantes da Secretaria de Portos; dos ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e dos Transportes; ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres); Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários); Empresa de Planejamento e Logística S. A.; e também por membros da CNT (Confederação Nacional do Transporte).

Com isso, além de fiscalizar a circulação de grãos e determinar melhores métodos utilizados no Brasil e no exterior, será sugerido um plano de ação para orientar as iniciativas pública e privada na prioridade dada a investimentos e localizar as fontes de recursos para as ações sugeridas.

“O Brasil produziu 166 milhões de toneladas de grãos em 2011/2012 e a expectativa é ultrapassar os 184 milhões de toneladas em 2013. Por isso, a importância do desenvolvimento de ações conjuntas entre portos, transportes e agricultura”, disse o ministro dos Portos, Leônidas Cristino, que discutiu as ações com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Andrade, na manhã desta terça.

Segundo Andrade, o governo federal está atento às necessidades de escoamento da produção e tem trabalhado em conjunto com órgãos responsáveis para atender a demanda de safra recorde. O ministro também afirmou que está em análise no Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) um sistema para acelerar o processo de desembarque nos portos. “O produto precisa ser escoado, estamos trabalhando para ampliar a capacidade de estocagem”, destacou.

COMMENTS