Seguro obrigatório DPVAT fica mais caro em 2013

Reajuste médio foi de 4,4%, mas não atingiu todas as categorias. Este ano, motos, ônibus e micro-ônibus poderão parcelar em até três vezes o valor

Santos Brasil registra crescimento de 17,2% na movimentação de contêineres no segundo trimestre
IBPT aponta aumento de 82,11% no frete marítimo nos últimos quatro anos
Tarifa de metrô e trem de SP sobe para R$ 3,20

O valor do Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) ficará mais caro em 2013. Para os carros de passeio, táxis e carros de aluguel, o seguro passou de R$ 101,16 para R$ 105,65, já considerando o IOF e o custo da apólice.

Para ônibus, micro-ônibus e lotação com cobrança de frete (urbanos, interurbanos, rurais e interestaduais), o valor foi mantido em R$ 396,49.

Os proprietários de micro-ônibus com cobrança de frete, mas com lotação não superior a dez passageiros e ônibus, micro-ônibus e lotações sem cobrança de frete (urbanos, interurbanos, rurais e interestaduais) pagarão R$ 247,42 pelo seguro, o mesmo valor de 2012.

Para motocicletas, motonetas, ciclomotores e similares, o seguro passará de R$ 279,27 para R$ 292,01 e, por sua vez, as máquinas de terraplanagem e equipamentos móveis em geral, quando licenciados, camionetas tipo “pickup” de até 1.500 kg de carga, caminhões e outros veículos, o seguro subiu de R$ 105,68 para R$ 110,38.

Em 2013, também entrará em vigor uma novidade: proprietários de motos, ônibus e micro-ônibus poderão parcelar em até três vezes o valor do DPVAT, desde que atinja o mínimo de R$ 70, até então, o pagamento era feito à vista, o que segue valendo para automóveis, caminhões e caminhonetes.

A Seguradora Líder, atual responsável pela administração do DPVAT, estima que o parcelamento deva atingir 20 milhões de veículos. O benefício só não vale para os zero-quilômetro, que terão primeiro licenciamento em 2013. Seguros atrasados também devem ser pagos de uma só vez.

No Brasil, todo cidadão que sofre acidente de trânsito, seja pedestre, motorista ou passageiro, tem direito à indenização do seguro obrigatório. Em caso de morte ouinvalidez permanente a vítima ou a família receberão até R$ 13,5 mil.

O seguro também paga o reembolso de despesas médicas e hospitalares até R$ 2.700, o que inclui gastos com remédios e exames, todos devidamente comprovados. Esse direito, porém, é suspenso se o proprietário do veículo não quitar o DPVAT.

Tanto que, embora o pagamento possa ser feito até a data do licenciamento, a Seguradora Líder orienta que deve ser realizado junto com o do IPVA. A opção pelo parcelamento pode ser feita pelo site do banco ou caixa eletrônico.

Quem deixa de pagar o seguro obrigatório não pode licenciar o veículo. Sem o licenciamento, o veículo pode ser apreendido em bloqueios de trânsito e em caso de acidente.

COMMENTS