Mercedes-Benz prevê produção de caminhões 20% maior este ano em MG

Mercedes-Benz prevê produção de caminhões 20% maior este ano em MG

Unidade de Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, deve produzir 15 mil unidades em 2013, segundo estimativa da montadora

Governo estende o prazo do Procaminhoneiro para junho de 2010
Scania inicia a busca pelos melhores motoristas de caminhão do mundo
CET reduz velocidade para veículos pesados na Marginal Tietê (SP)

A Mercedes-Benz espera fabricar 15 mil caminhões na unidade de Juiz de Fora (MG) em 2013. A companhia começou a montar o leve Accelo e o extrapesado Actros na planta mineira no primeiro semestre de 2012 e encerrou o ano com 10 mil veículos produzidos.

A meta da empresa era alcançar volume de 10 mil a 15 mil veículos. Apesar de o número ter ficado próximo do mínimo previsto, ele é visto como “uma vitória em ano de mercado tão difícil” pelo vice-presidente de operações da montadora no Brasil, Ronald Linsmayer.

Inaugurada há cerca de 15 anos para produzir automóveis, a fábrica passou por transformação que durou 18 meses para poder fabricar veículos comerciais. O processo foi concluído em janeiro.

Para atender ao aumento das etapas de produção, a Mercedes-Benz anunciou a contratação de 140 funcionários, elevando o volume de trabalhadores da fábrica para 940 pessoas. O número de profissionais garante a atividade em um turno de produção. Segundo a montadora, esse deve ser o ritmo necessário para atender ao crescimento do mercado este ano.

A companhia concorda com a projeção da Anfavea, associação dos fabricantes de veículos, de que as vendas de caminhões aumentem de 7% a 8% este ano, para até 150 mil unidades. “Essa evolução será puxada pelo crescimento da safra agrícola e pelas obras de infraestrutura. Outro fator positivo é começar o ano com as taxas de financiamento pelo Finame já definidas”, avalia Linsmayer.

O aporte de R$ 450 milhões feito pela Mercedes-Benz na fábrica de Juiz de Fora foi suficiente para garantir capacidade de até 50 mil unidades por ano em três turnos de trabalho. O volume é adicional aos 83 mil veículos que a unidade de São Bernardo do Campo (SP) pode fabricar anualmente. A planta mineira recebe motores, transmissões e peças estampadas do complexo industrial paulista.

COMMENTS