Perito fará exame em quem se recusar a fazer o teste do bafômetro em SP

Proposta é reformular por completo as operações paulistas para que se tornem referência nacional e coíbam brechas que enfraquecem as punições

Acidentes de trânsito custam mais de R$ 240 milhões ao SUS
Falta de atenção foi o que mais provocou mortes nas rodovias federais em 2016
Cai número de mortes e de acidentes no trânsito da cidade de São Paulo

As blitze da lei seca no Estado de São Paulo agora vão contar com a participação de peritos examinando os motoristas que se recusarem a fazer o teste do bafômetro. Além dos policiais, médicos, delegados e até cadeirantes vítimas de acidentes de trânsito já integram a equipe nas operações.

Os peritos que vão participar das blitze são da Polícia Científica. Já foi definido que eles farão os exames clínicos necessários para atestar a embriaguez de motoristas que se recusem a fazer o teste do bafômetro no próprio local da operação. Além disso, um médico e uma enfermeira da Secretaria de Estado da Saúde ficarão encarregados de realizar exames de rotina nos motoristas.

As blitze também terão um delegado e um escrivão da Polícia Civil. Eles serão responsáveis por tomar as medidas legais caso algum condutor seja flagrado bêbado.

Pelo cronograma proposto, as novas blitze da lei seca devem começar na Capital e, no segundo trimestre de 2013, serem estendidas para o resto da Grande São Paulo. No terceiro trimestre, será a vez do Interior e das rodovias. As datas e o custo das operações só devem ser divulgados na semana que vem.

Nova Lei Seca

A nova forma de fiscalizar a lei seca surge no momento em que o Senado discute torná-la mais rigorosa. Está prevista para esta semana votação de um projeto de lei que aumenta para R$ 1.900 o valor da multa para motorista bêbado e aceita testemunhos e vídeos como prova de embriaguez.

O texto já foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça. Só neste ano, 8.784 pessoas foram flagradas nas blitze realizadas na capital.

COMMENTS