Petrobras não terá crescimento significativo na produção até 2014

Petrobras não terá crescimento significativo na produção até 2014

Estatal mantém a meta de fechar 2012 produzindo até 2% acima ou abaixo dos 2,022 milhões de barris/dia na média do ano

Produção de petróleo no pré-sal alcança 300 mil barris por dia
Petrobras anuncia conclusão das obras da P-55
Produção acumulada no pré-sal alcança marca de 192 milhões de barris de óleo equivalente

A presidente da Petrobras, Graça Foster, confirmou que a produção de petróleo da companhia vai se manter estável neste e no próximo ano, quando começarão a entrar em operação grandes sistemas de produção na Bacia de Campos.

Durante visita à plataforma Cidade de Anchieta, que começou a produzir no pré-sal do Parque das Baleias, no Espírito Santo, Graça Foster disse ainda que 2012 e 2013 serão para a Petrobras anos de “arrumação da casa” e que o grande desafio da estatal hoje é a curva de produção.

A companhia enfrenta uma queda de produção de seus principais campos que, segundo o diretor de exploração e produção, José Formigli, só vai ser corrigida a partir da entrada em serviço de grandes sistemas nos campos de Roncador (P-55 e P-62, com capacidade para 180 mil barris de óleo por dia cada); Parque das Baleias (P-58, com 180 mil barris por dia de capacidade); e Papa-Terra (P-61 e P-63, que, juntas, terão capacidade de 150 mil barris por dia). Essas unidades estão previstas para começar a operar em 2013, mas só devem atingir a capacidade total de produção em 2014.

Formigli antecipou que os campos do pré-sal operados pela Petrobras produziram em outubro 205 mil barris de óleo por dia, o que representou cerca de 10% da produção da companhia. O volume é menor que o pico de produção registrado em setembro, com 223 mil barris de óleo e líquido de gás natural (LGN), mas isso se deve à transferência da plataforma Cidade de São Vicente, que fazia o Teste de Longa Duração (TLD) no campo de Iracema Sul, na bacia de Santos, e que vai ser conectada agora ao campo de Sapinhoá Norte.

Sobre a queda de produção de aproximadamente 200 mil do país desde janeiro, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Formigli disse que a Petrobras não é a única culpada. O diretor de exploração e produção observou que parte dessa queda se deve à parada da produção no campo de Frade, na Bacia de Campos, operado pela Chevron, que estava produzindo em torno de 67 mil barris por dia até ter a produção paralisada depois de dois derramamentos de óleo.

A Petrobras mantém a meta de fechar 2012 produzindo até 2% acima ou abaixo dos 2,022 milhões de barris/dia na média do ano e conta com a chegada da plataforma Cidade de Itajaí, que está em Cingapura, até o fim de dezembro.

COMMENTS