Gol anuncia fim da WebJet e corte de 850 empregos

Gol anuncia fim da WebJet e corte de 850 empregos

Frota de aeronaves com tempo de uso elevado e tecnologia defasada impediu a competitividade das operações. Gol assumiu R$ 200 milhões em dívidas da companhia

Para desinchar Infraero, governo vai demitir 4 000 funcionários em 2016
Passaredo disponibiliza aeronave para simulação de evacuação de emergência em acidente
Avianca e Gol lideram cancelamentos em maio

A Gol Linhas Aéreas anunciou hoje (23) o fim das atividades da companhia controlada WebJet, resultando na demissão de cerca de 850 empregados e num aumento de custos no quarto trimestre.

“A WebJet possui uma frota composta majoritariamente por aviões Boeing 737-300, de idade média elevada, alto consumo de combustível e defasagem tecnológica. Com os novos patamares de custo do setor no Brasil, esse modelo deixou de ser competitivo”, informou a empresa em comunicado.

A Gol estima que a redução da oferta doméstica de assentos no primeiro semestre de 2013 seja de 5 a 8% menor, mas ressaltou que todos os passageiros da WebJet terão os voos garantidos.

Quanto à frota de 20 aeronaves Boeing 737-300 da WebJet, a companhia prevê devolvê-la toda até a metade do ano que vem, a maioria até março de 2013. “Essas medidas reforçam o comprometimento da Gol na recuperação de suas margens operacionais e na sustentabilidade do negócio”, ressalta no comunicado.

A Gol concluiu a compra da WebJet em outubro de 2011, por R$ 70 milhões, além de ter assumido dívidas de cerca de R$ 200 milhões.

A aquisição foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em 10 de outubro deste ano, condicionada ao cumprimento de um acordo para garantir um patamar de 85% de eficiência na operação dos slots do aeroporto de Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

A Gol afirmou, após o aval do Cade ao negócio, que pretendia concluir a integração da malha da WebJet em dezembro, divulgando até o fim do ano um plano de sinergias que poderiam ser alcançadas.

COMMENTS