Ipem-RJ inicia fiscalização do transporte de cargas perigosas

Veículos que têm capacidade para transportar mais de dez passageiros também estão sendo averiguados

Consórcio Scania é eleito o melhor da categoria em 2010
Totti vence em Interlagos e cresce na disputa pelo título da Fórmula Truck
Prefeitura de São Paulo exigirá inspeção de caminhão de outra cidade

O Instituto de Pesos e Medidas do Rio de Janeiro (Ipem-RJ) começou a atuar, juntamente com a Secretaria Estadual de Transportes, na Operação Barreira Fiscal, para vistoriar o transporte de cargas que entram no Rio de Janeiro vindas de outros estados.

Os fiscais verificam se os caminhões que transportam cargas perigosas, como produtos químicos e inflamáveis, estão dentro das normas estabelecidas por lei, com objetivo de evitar crimes ambientais e acidentes com produtos químicos. Além dos caminhões, veículos que têm capacidade para transportar mais de dez passageiros também estão sendo averiguados.

Dentre os itens vistoriados estão os cronotacógrafos, instrumento de medição responsável por indicar e registrar a velocidade, a distância percorrida pelo veículo, os dados do condutor, tempo de trabalho, de parada e de direção, já que o produto levado precisa ser transportado de forma segura.

A presidente do Ipem-RJ, Soraya Santos, disse que os fiscais atuarão semanalmente em todo o estado para inibir a entrada de caminhões com irregularidades que possam transportar produtos perigosos.

“Essa operação é muito especial e importante para o Rio de Janeiro, uma vez que a barreira fiscal atua nas divisas do estado. No caso de cargas perigosas, imagina um caminhão entrando no estado com rachaduras, transportando combustível ácido, o que pode acontecer com o meio ambiente e até com as pessoas? Então nós estaremos com uma equipe para inibir a entrada desses caminhões”, disse.

Soraya explicou ainda que, além dos cronotacógrafos, os agentes verificarão se os veículos transportam carga acima do peso permitido. De acordo com ela, durante a operação um caminhão autorizado a conduzir uma carga de 6 metros cúbicos, transportava o equivalente a 10 metros cúbicos. “Nós do Ipem vamos autuar este condutor e ele receberá uma multa que varia de R$ 100 a R$ 30 mil”, disse.

Participam da ação equipes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), da Secretaria Estadual de Transportes, da Barreira Fiscal, além dos fiscais do Ipem, totalizando cerca de 30 agentes.

COMMENTS