Mercedes-Benz reduz jornada e adia demissões até 2013

Sindicato e montadora entraram em acordo para manter funcionários até janeiro, trabalhando 4 dias por semana e sem ajuste salarial, apostando em uma possível retomada do setor

Linde e Konecranes iniciam operação conjunta na linha de máquinas de movimentação de contêineres
Brasil e Colômbia firmam acordo para comércio de veículos leves livre de taxação
Embraer e SkyWest Airlines firmam acordo de serviços para unidades do modelo E175

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, entidade que representa os trabalhadores da fábrica de caminhões e ônibus da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo (SP), assinou um acordo com a montadora, para prorrogar as negociações sobre demissões até 31 de janeiro de 2013, apostando na possível retomada do setor.

Atualmente 1400 funcionários da empresa estão afastados das atividades, em regime de lay off (programa de suspensão temporária de contrato de trabalho), recebendo salários por meio do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) e complemento da empresa. Estes trabalhadores terão vínculo com a montadora garantido até 17 de dezembro.

O acordo prevê também, o congelamento dos reajustes salariais até 31 de janeiro para todos os 13 mil funcionários da planta.

“Havia um clima de intranquilidade e insegurança dentro da fábrica. O acordo tranquilizará os trabalhadores porque garante que não haverá demissões até o final de janeiro do ano que vem”, diz Sérgio Nobre, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e secretário-geral da CUT.

De acordo com dados da Anfavea, só a produção de caminhões já recuou 40,2% até agosto deste ano, mas a expectativa da indústria é de melhora para 2013.

COMMENTS