Agentes da CET de SP faltam ao trabalho para doar sangue por melhores salários

Ação é uma forma de protesto para a reabertura da negociação de reajustes salariais e melhoria nas condições de trabalho. De acordo com o sindicato representante, se não houver um consenso a categoria entrará em greve a partir do dia 4 de setembro

Polícia Rodoviária Federal inicia hoje greve nas estradas de SP
CET SP faz nova proposta e greve deve ser suspensa
Correios entram em greve em quase todo o País

Os agentes de trânsito e funcionários da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) de São Paulo iniciaram, na madrugada desta sexta-feira (10), uma doação coletiva de sangue, como forma de protesto por melhoria nas condições de trabalho e reajuste salarial de 12%.

O sindicato que representa a categoria afirmou que cerca de 70% do contingente em operação aderiu a manifestação e até as 12h, cerca 560 agentes dos setores operacionais e administrativos da CET foram aos três hospitais indicados pelo sindicato para doar sangue e, por isso, não compareceram ao trabalho.

De acordo com a legislação trabalhista, o hemocentro tem autorização para conceder ao doador um atestado que abona um dia de trabalho, sem prejuízos ao funcionário.

“Estamos fazendo isso para mostrar que estamos em má situação. Não tem mão de obra, viaturas, e condições de trabalho. Nosso foco é a doação, a ajuda ao próximo. Não estamos fazendo nada de errado”, disse o secretário geral do Sindviários (Sindicato dos Trabalhadores no Sistema de Operação, Fiscalização, Manutenção e Planejamento Viário e Urbano do Estado de São Paulo), Alfredo Coletti.

De acordo com Coletti, a CET ofereceu aos funcionários um reajuste de 4,14%. A proposta foi negada pela categoria em assembleia no último dia 1º.

O sindicato informou também que se companhia e sindicato não chegarem a um acordo, os funcionários vão entrar em greve a partir do dia 4 de setembro.

A CET informou por meio de nota que “montou uma operação especial para garantir a normalidade do trânsito devido a paralisação de alguns funcionários” e que os agentes de trânsito receberam, nos últimos sete anos, reajustes superiores à inflação do período.

COMMENTS