TGestiona recebe certificação para operar cosméticos

Empresa de logística do Grupo Telefonica recebeu a Certificação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária para operar cargas do mercado de higiene pessoal e cosméticos

Center Cargo conta com profissionais especializados na logística de produtos farmacêuticos
Anvisa utiliza tecnologia brasileira para monitorar condições sanitárias de navios de cruzeiro
Anvisa libera Modern Logistics para o transporte de medicamentos e insumos farmacêuticos no Brasil

A TGestiona, operadora logística do Grupo Telefonica, acaba de receber a certificação da Anvisa para operar nos segmentos de cosméticos e produtos de higiene pessoal. De olho no crescente mercado de produtos de beleza e perfumaria, a empresa buscou a certificação e já se preparou para iniciar as operações no segmento.

Segundo a operadora, a preparação para este novo nicho de atuação incluiu a contratação de um responsável técnico para as operações e a adequação física de sua estrutura, como armazéns, instalações e frota disponível.

Segundo o diretor de Logística da TGestiona, Maurício Pastorello, o interesse da empresa em entrar no segmento de cosméticos e produtos de higiene se deve ao fato de o setor ter baixa sazonalidade, volume de carga crescente e ampla diversificação e rotatividade de produtos, fazendo com que  as empresas de farmacêuticas e de cosméticos priorizem a terceirização das operações logísticas.

“Além disso, a distribuição, hoje em dia, vai além das entregas tradicionais, o mercado cresceu bastante devido à venda direta e ao grande número de lojas especializadas, o que aumenta a necessidade de um processo logístico perfeitamente alinhado com os setores de produção e de venda”, pontua o executivo.

De acordo com a TGestiona, ainda não se pode determinar qual o valor total do investimento, pois, tanto a frota quanto o número de pessoas envolvidas na logística deste novo segmento dependerá do volume de trabalho exigido pelos novos clientes. “Mas, temos a certeza que com o mercado crescendo muito e a população exigindo, cada vez mais, um serviço qualificado em muito breve precisaremos adaptar mais veículos e treinar mais pessoas para assim continuarmos realizando um processo de logística de ponta”, finaliza o Pastorello.

COMMENTS