Governo quer ampliar controle da velocidade no trânsito

Entre as medidas propostas no projeto está o controle da média de velocidade atingida pelo veículo em um percurso determinado, possibilitando que a fiscalização não seja apenas em locais únicos

Governo rejeita proposta para isenção tributária nos combustíveis
Passageiro poderá ser indenizado por atraso ou cancelamento de voo
Projeto torna obrigatório cinto de segurança de três pontos em ônibus

A Câmara dos Deputados estuda ampliar as ferramentas de controle da velocidade nas estradas e outras vias públicas, incluindo a fiscalização do descumprimento dos limites máximos através do cálculo da velocidade média (cálculo entre a distância percorrida pelo veículo e o tempo decorrido).

Na prática, explica o deputado Edinho Araújo (PMDB-SP), autor do projeto, além do habitual controle de velocidade num ponto específico da via por meio do radar, cria-se a possibilidade jurídica de monitorar a velocidade de um veículo num determinado percurso.

Araújo acredita que a medida vai incrementar a eficiência da fiscalização do excesso de velocidade, o que, segundo ele, contribuirá significativamente para a redução do número e da gravidade dos acidentes de trânsito.

O autor espera também que o projeto mude o comportamento do motorista, “pois a sensação de ter sua velocidade fiscalizada pontualmente e também por trechos produzirá um maior sentido de responsabilidade, aumentando a probabilidade percebida, ou seja, a percepção de que poderá sofrer punições, que é o que de fato influencia inicialmente a credibilidade das normas legais”.

Edinho Araújo cita que o controle da velocidade média já é realidade em países da União Europeia, entre os quais Itália e Portugal. A medida desperta polêmica em todos os países, porém, diz o deputado, o fato é que a experiência internacional comprova a efetividade e o sucesso da metodologia.

“A infração de excesso de velocidade é matriz geradora de outras infrações de trânsito, pois o condutor que a excede em geral comete outras infrações, como, por exemplo, deixar de guardar distância frontal de segurança entre o seu veículo e os demais”, alerta o parlamentar.

O deputado cita também estudos que indicam que, mantendo inalterados outros fatores, uma redução de apenas 1 km/h nas velocidades médias praticadas podem reduzir em 3% os acidentes de trânsito e em 5% o número de mortos e vítimas graves.

O projeto terá análise conclusiva das comissões de Viação e Transportes e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

COMMENTS