Fábrica da Iveco terá condomínio de fornecedores em oito meses

Agrupamento dos fornecedores perto da fábrica é tendência moderna das montadoras e projeto do condomínio terá investimentos da ordem de R$ 9 milhões do Governo do Estado de Minas Gerais. Os galpões de fornecedores poderão operar a partir do começo de 2013

Iveco testa Tector GNV na coleta urbana de lixo em Porto Alegre (RS)
Cargolift comemora faturamento recorde e amplia frota
CET reduz velocidade para veículos pesados na Marginal Tietê (SP)

O condomínio de fornecedores ao lado da fábrica de caminhões da Iveco, em Sete Lagoas (MG), começou a sair do papel. A Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemig), órgão do governo mineiro, proprietário do terreno e que comercializará os lotes às empresas interessadas, deu início às obras de infraestrutura do empreendimento, que ocupa uma área de 156 mil m2 às margens da rodovia MG-060.

Parte desta área, 95 mil m2 será dedicada à área industrial e, o restante, será ocupado pelo sistema viário, área verde, área de equipamentos comunitários e urbanos (ilha ecológica e tecnológica).

A Codemig concluiu a fase de licitação do projeto e autorizou a Construtora LAMAR, de Belo Horizonte, a operar as primeiras máquinas de movimentação de terra no local. As obras seguem padrões ambientais determinados pela Fundação Estadual do Meio Ambiente (FEAM).

O prazo previsto para a terraplanagem, abertura de ruas e implantação de rede elétrica, água e esgoto é de aproximadamente oito meses, e exigirá investimentos na ordem de R$ 9 milhões. Os galpões para as instalações dos fornecedores poderão começar a ser construídos antes do término das obras de base. “Isso significa que as atividades dos fornecedores podem iniciar já em meados de 2013”, disse Gustavo Comparato, diretor de Compras da Iveco.

O condomínio de fornecedores deverá receber, numa primeira etapa, 12 empresas, e a expectativa é que elas possam gerar até 400 empregos diretos. A Iveco emprega hoje 2.500 pessoas.

Com o condomínio de fornecedores, a Iveco quer se beneficiar da racionalização de seu sistema logístico. Hoje, a empresa recebe componentes de diversos Estados brasileiros. Alguns conjuntos são montados pela própria Iveco e só depois instalados nos veículos nas linhas de montagem. A ideia é que estes conjuntos sejam montados dentro do condomínio e que a Iveco já os receba acabados. É o caso dos eixos, que já vêm montados de fora de Minas Gerais. Se os componentes destes eixos viessem desmontados, seriam necessários menos caminhões para transportá-los.

As primeiras 12 empresas a se instalarem nesta nova área industrial em Sete Lagoas serão responsáveis pela montagem e entrega à Iveco, em sistema just in time, de componentes como chassis, eixos dianteiros, eixos traseiros, pintura em peças plásticas, montagem de pneus, etc. A montadora ainda pretende contar, entre as empresas ali instaladas, com um fornecedor de serviços de manutenção industrial.

Outra possibilidade é um “mode center”, isto é, um fornecedor que possa adaptar veículos às necessidades especiais de alguns clientes. “Hoje os clientes precisam de caminhões muito específicos e alguns deles poderiam ser finalizados por uma empresa externa, especializada, mas próxima o bastante da Iveco para podermos agilizar e controlar a qualidade desta operação”, afirma Comparato.

COMMENTS