Randon sente queda na produção de caminhões e ônibus com redução de 21% na receita

Randon sente queda na produção de caminhões e ônibus com redução de 21% na receita

Empresa gaúcha diz que o efeito já era esperado pela entrada em vigor da norma Euro 5, que elevou o preço dos caminhões em todo o País desde janeiro. Outra empresa do grupo, a Fras-Le, registrou crescimento em seu faturamento

Transportadora Panex renova frota com seis Scania 6×4
Randon bate recorde de receita e fecha 2011 com R$ 6,4 bilhões
Agrale fecha 2012 com faturamento bilionário

A desaceleração do desempenho das montadoras de caminhões e ônibus no Brasil, que até maio registrou recuo de 32,8% na fabricação de caminhões e 31% de ônibus, de acordo com o balanço da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), tem refletido no desempenho de seus fornecedores.

Um deles, a Randon, informou na semana passada que a sua receita líquida (depois de descontados os impostos) ficou 21,5% menor do que o mesmo período no ano passado. A empresa gaúcha reportou que nos cinco primeiros meses de 2012 ficou em R$ 1,34 bilhão. Somente no mês de maio registrou R$ 308,3 milhões, recuo de 21,1%.

“O desempenho no período contempla os efeitos já esperados decorrentes da  introdução da nova lei de emissões para motores em veículos comerciais (Euro 5), que promoveu queda na produção de caminhões e ônibus”, afirmou o diretor de Relações com Investidores da empresa, Astor Schmitt, em comunicado publicado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), já que o grupo tem ações negociadas na bolsa de valores de São Paulo, a BM&FBovespa.

A Receita Bruta Total (sem eliminação e com impostos) no mês de maio de 2012 atingiu R$ 476 milhões ou 18,3% menos do que aquela de maio de 2011. Já no acumulado de janeiro a maio, a Receita Bruta totalizou R$ 2,064 bilhões ou 20,4% menos que no mesmo período do ano passado.

Por sua vez, outra empresa de capital aberto do Grupo, a Fras-Le, apresentou desempenho contrário. A receita líquida consolidada da companhia no mês de maio deste ano atingiu R$ 63,4 milhões, crescimento de 28,6%. No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, esse indicador foi de R$ 272,6 milhões, aumento de 18,2% quando comparada ao mesmo período do ano passado.

Já a receita bruta total (sem eliminações e com impostos) atingiu R$ 85,9 milhões no mês de maio de 2012, alta de 27,4%. No acumulado de janeiro a maio de 2012, a receita bruta total (sem eliminações e com impostos) totalizou R$ 372,1 milhões ou 19,3% maior que o acumulado no mesmo período de 2011.

As duas empresas não são muito negociadas na bolsa de valores no mercado à vista. No caso da Randon, na quarta-feira, houve apenas uma negociação envolvendo os papeis ordinários da empresa (RAPT3) que apresentaram variação negativa de 2,32% cotada a R$ 8,40. Já as preferenciais (RAPT4),cujo titular não tem poder sobre a administração da empresa e apresentam maior liquidez, registraram queda de 0,10%, cotadas a R$ 9,39 em 1.951 negócios.

Já para a Fras-Le, que também possui poucos negócios, apresentou alta de 1,43% em seus papeis preferenciais (FRAS4), valendo R$ 3,54. Não houve negociação dos papeis ordinários da empresa no pregão de ontem.

COMMENTS