Governo assina concessão de aeroportos de São Paulo e Distrito Federal

Governo assina concessão de aeroportos de São Paulo e Distrito Federal

Secretaria de Aviação Civil cobrou das novas concessionárias intervenções imediatas para transmitir aos passageiros a sensação de melhoria com a privatização

Infraero promove Carnaval para crianças com câncer no aeroporto de Fortaleza (CE)
Azul e Trip ajustam operações para o Sul e Nordeste do país
Demanda doméstica por transporte aéreo no Brasil sobe 8,2% em abril

O Governo Federal ontem (14) assinou os contratos de concessão dos aeroportos de Guarulhos, Brasília e Viracopos, na sede da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). De imediato, a Agência pediu às concessionárias intervenções urgentes nos três aeroportos, a fim de transmitir aos passageiros a percepção de mudanças já nas primeiras semanas de concessão.

Reforma e ampliação de banheiros, organização de filas, melhorias no sistema de iluminação, troca de sinalização dentro dos terminais e melhor aproveitamento das áreas atuais de estacionamento foram algumas das medidas sugeridas pelo ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Wagner Bittencourt. As três concessionárias prometeram acatar essas recomendações.

No aeroporto de Guarulhos, o maior do país, o novo terminal, que será construído, supera as exigências do governo para a primeira fase de obras. Até a Copa do Mundo de 2014, sairá do papel uma estrutura com capacidade para 12 milhões de passageiros por ano. O edital exigia 7 milhões, estacionamento para 10 mil veículos, pátio com 36 posições para aeronaves, 22 novas pontes de embarque (fingers) e saídas rápidas das pistas de pouso e decolagem. O presidente da Invepar, vencedora da concessão, Gustavo Rocha, disse que o atraso de 20 dias na assinatura do contrato não compromete o cronograma dos trabalhos de ampliação. A Invepar lidera a concessionária de Guarulhos, com participação minoritária da operadora sul-africana ACSA.

No aeroporto de Brasília, que passa para as mãos do consórcio Inframérica (uma aliança da brasileira Engevix com a argentina Corporación América), a promessa é começar a reforma do terminal 1 em três meses e iniciar as obras do novo terminal de passageiros em dezembro. Serão investidos R$ 640 milhões até a Copa de 2014. Todo o quadro de empregados da Infraero no aeroporto, hoje são 388 funcionários, foi convidado para continuar em Brasília, sob gestão privada. “Eles são uma mão de obra especializada, com experiência na gestão aeroportuária brasileira e serão peças importantes para a nossa administração”, afirmou o gestor da Inframérica, José Antunes Sobrinho. Os funcionários da Infraero que optarem por continuar na estatal serão realocados, com garantia de emprego.

Os contratos têm prazos diferentes. A duração será de 20 anos para Guarulhos, de 25 anos para Brasília e de 30 anos para Viracopos. No total, as concessionárias pagarão R$ 24,5 bilhões ao Fundo Nacional de Aviação Civil (Fnac), além de um percentual sobre suas receitas. O pagamento começa apenas no ano que vem.

COMMENTS