7º encontro de Logística e Transportes da FIESP discute a competitividade brasileira

Elevado custo na geração de energia, alta carga tributária e o uso de leilões para a concessão de serviços, foram os pontos abordados por Paulo Skaf, presidente da FIESP, no primeiro dia do evento

TCU evitou que cerca de R$ 2,5 bilhões fossem desperdiçados em obras irregulares em 2011
Vipal expõe novos produtos em feira de transportes no México
Portos pedem novas regras ambientais

O 7º encontro de Logística e Transportes realizado pela FIESP com apoio de mídia do Portal Transporta Brasil, discutiu a competitividade do mercado brasileiro e o elevado custo produtivo e tributário.

A abordagem de questões como a queda de juros, controle da inflação e a desindustrialização do país, entre outros pontos, trouxeram ao debate, um panorama do mercado e o potencial produtivo e de distribuição atual.

O presidente da entidade, Paulo Skaf, analisou a questão com uma visão positiva, mas alertou para as iniciativas a serem tomadas pelo poder público e o setor privado, para garantir o Brasil na concorrência direta com grandes mercados Internacionais. “Hoje, se colocarmos a melhor indústria do mundo no Brasil, ela perderá sua competitividade”, alertou Skaf, que ainda classificou a logística como fator de ônus para o crescimento do país.

O congresso acontece no pavilhão de eventos do Hotel Unique, na Av. Brigadeiro Luís Antônio, 4700 e prossegue até esta terça com cadastramento gratuito no site: www.fiesp.com.br/logistica

COMMENTS