Polícia Federal desarticula quadrilha que contrabandeava cargas de videogames

Operação Estada Real realizou nesta terça a apreensão de cargas e a prisão de sete pessoas envolvidas com crimes de descaminho e lavagem de dinheiro

Polícia Federal apreende aeronave que transportava eletrônicos
Empresa russa de rastreamento via satélite quer 25% do setor no Brasil
Elog recebe prêmio de gigante chinesa das telecomunicações

A Polícia Federal e a Receita Federal realizaram nesta terça-feira (24) a Operação Estrada Real, que desarticulou um grupo suspeito de contrabandear cargas de eletrônicos para o Brasil, sonegando impostos e atuando na lavagem de dinheiro.

Sete pessoas foram presas e outras seis são consideradas foragidas. A polícia cumpriu mandados de prisão em São Paulo, Belo Horizonte (MG) e Foz do Iguaçu. As prisões são fruto de um inquérito instaurado no ano passado, que deu origem a um trabalho de investigação sobre empresas que recebiam elevadas transferências bancárias na capital mineira.

Os remetentes do dinheiro são empresas paulistas que atuam na importação e distribuição de produtos eletrônicos, principalmente consoles de videogame, acessórios e jogos eletrônicos de marcas consagradas.

A Receita Federal estima que os crimes cometidos pelo grupo tenham causado prejuízo de R$ 100 milhões aos cofres púbicos. Segundo a Polícia Federal, os videogames eram adquiridos no Paraguai e seguiam para São Paulo de caminhão, onde eram montados e embalados, recebendo selos falsos de autenticidade, e eram vendidos com notas fiscais falsas no varejo.

Os envolvidos responderão por crimes de descaminho, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, falsidade ideológica, evasão de divisas e sonegação fiscal. Juntas, as penas podem chegar a 28 anos de prisão.

COMMENTS