Exército Brasileiro contribui para a expansão da malha viária do país

Departamento de Engenharia e Construção da corporação atua em obras de difícil acesso e pouco interesse de empresas privadas

Iveco do Brasil tem novo diretor de Engenharia de Produto
Transportadora Rodoeng completa 35 anos de atividade
ALL dá início às inscrições de seu Programa de Engenheiros 2012

O exército brasileiro, por meio do Departamento de Engenharia e Construção, contribui com as obras de infraestrutura e a expansão e reconstrução da malha viária brasileira. O trabalho do exército abrange aeroportos, rodovias, pontes e portos e em operações que vão além de obras emergenciais.

Segundo o Major Armando Siquara Neves Filho que integra a seção de acompanhamento de obras da Diretoria de Obras de Cooperação, o trabalho do exército nas obras gera um grande benefício para o país. “Em um cenário de guerra real, o departamento realizaria a construção de estradas e pontes para a transposição do nosso transporte e equipamentos, sendo assim, o emprego do exército nessas obras permite o treinamento e adestramento da mão de obra e das estratégias enquanto prestamos um serviço à nação”, explica o Major.

Atualmente o DEC é responsável por 56 frentes de trabalho espalhadas por todo o território nacional. Entre essas obras se destacam a Duplicação da BR 101-NE de Natal (RN) à Recife (PE), a transposição da bacia do Rio São Francisco e a ampliação das rodovias BR 319 e BR 163.

“O trabalho do Exército é geralmente solicitado em obras de pouco interesse comercial, quando existem muitas dificuldades logísticas e operacionais ou por atenderem a localidades muito isoladas que não vão gerar o interesse de empresas privadas”, explica Major Siquara.

O Major ainda afirma que os trabalhos do DEC seguem todos os padrões exigidos por lei e o resultado é tão eficaz quanto os apresentados por empresas especializadas. Um ponto que dificulta o desenvolvimento normal dos trabalhos é que, por se tratar de um órgão público, o DEC só pode realizar a compra de materiais e equipamentos por meio de licitações o que demanda um tempo maior no processo.

Apesar dessas dificuldades burocráticas as operações do exército nas obras são realizadas com o uso de tecnologia de ponta, como exemplo, a ponte LSB, que é usada em casos de emergência ou de calamidade pública, este equipamento é montado em poucas horas e alcança uma extensão de até 61 metros, sustentando até 110 toneladas. O departamento também conta também com um veículo equipado com o GEO 3D que faz o escaneamento profundo das camadas do pavimento, analisando a capacidade de suporte e as imperfeições que gerarão defeitos futuramente.

O Departamento de Engenharia e Construção do Exército expôs seu trabalho durante a feira Brasil Road Expo, realizada em São Paulo com apoio de mídia do Portal Transporta Brasil.

COMMENTS