Uma sangria de R$ 1,5 trilhão

Este é o valor pago pelos brasileiros em tributos durante o ano passado. Escândalo arrecadatório fica cada vez mais evidente

Arrecadação de tributos do Brasil passa de R$ 1 trilhão
Ações individuais são mais eficientes para contestar o FAP
Empresas têm até o dia 9 de março para entregar a Rais

Que a carga tributária do Brasil é uma das maiores do mundo, todos sabem. Em nosso País, as empresas, além de terem que pagar caro por insumos, equipamentos, capacitação, infraestrutura e outros itens primordiais para seu funcionamento, sofrem com a grande oneração da folha de pagamentos, impedindo a geração de mais empregos, e pagam uma conta astronômica em tributos para a união, Estados e Municípios.

Segundo números do Impostômetro, o Brasil arrecadou, em 2011, mais de R$ 1,5 trilhão, um recorde. Até a data do fechamento deste texto, 1º de fevereiro, a marca dos tributos arrecadados no país já havia ultrapassado os R$ 150 bilhões.

O que todos já estão cansados de se perguntar é: para onde vai todo este dinheiro, se os cidadãos, as empresas e todas as organizações da sociedade brasileira não têm a contrapartida destes tributos?

A educação pública é ruim, a segurança é precária, a infraestrutura está sucateada, o sistema de saúde não funciona… Diante de todo este cenário, não é raro ficar revoltado com a sanha arrecadatória brasileira e a completa falta de contrapartida.

Somos os primeiros no mundo em tributos e um dos últimos em retorno dos tributos à sociedade. E, como se o grande número de rubricas e alíquotas a serem pagas não bastassem, convivemos com um sistema de fiscalização e arrecadação bastante voraz, que pune os que não pagam os tributos em dia exemplarmente.

Movimentos contra este absurdo tributário brasileiro têm incentivado os cidadãos a levantar sua voz e reclamar. Um deles é o movimento Hora de Agir, que apoia a aprovação do Projeto de Lei 1.472/07, que exige que as notas fiscais de todos os produtos mostrem a porcentagem de tributos que o consumidor está pagando.

Este é um dos caminhos para melhorar a situação por meio da transparência. Outros ainda devem ser descobertos. Uma reforma tributária, há tantas décadas planejada e nunca realizada, seria uma forma mais eficaz de lidar com o tema.

Mas, o governo, guloso e gastão, não quer nem saber de diminuir seus ganhos com o suado dinheiro do povo e do setor produtivo. Este é o nosso Brasil. Um Brasil de R$ 1,5 trilhão pagos em tributos.

COMMENTS