Petrobras apesenta à ANP declaração de comercialidade de petróleo leve de campos da Bacia de Santos

Localizados no Bloco BMS-40, a cerca de 200 km da costa do Estado de São Paulo, acumulações somam volumes recuperáveis totais estimados em 196 milhões de barris de óleo equivalente

Zona sul é a região mais cara para abastecer na capital paulista
Suíça Kuehne + Nagel compra operador logístico brasileiro Eichenberg
Aeroporto Campo de Marte, em SP, instala placas de captação de luz solar

A Petrobras apresentou à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), na sexta-feira (17), a Declaração de Comercialidade das acumulações de petróleo e gás nas áreas de Tiro e Sidon, localizados no sul da Bacia de Santos. Nessas áreas, os volumes totais são estimados são de 196 milhões de barris de óleo equivalente (boe).

De todo o óleo, 113 milhões de boe são do Campo de Tiro, também nomeado de Bauna, e 83 milhões de boe do Campo de Piracaba, como também é chamado Sidon. Ambos contém petróleo leve (34 oAPI em Bauna e 32 oAPI em Piracaba), em reservatórios arenosos situados acima da camada de sal. A Petrobras detém 100% de participação nesses campos de petróleo localizados no Bloco BMS-40, em águas rasas da Bacia de Santos, a cerca de 200 km da costa do Estado de São Paulo.

De acordo com a companhia, as Declarações de Comercialidade ocorrem após a execução do Programa de Avaliação Exploratória, que incluiu um Teste de Longa Duração (TLD) em Tiro e outro em Sidon. “Os TLDs confirmaram a excelente produtividade dos reservatórios nos dois campos, com a manutenção das vazões durante todo o período dos testes e propiciaram a aquisição de informações sobre as propriedades dos reservatórios, imprescindíveis para a otimização dos planos de desenvolvimento.”

Além da Declaração, foram apresentados à ANP os Planos de Desenvolvimento (PD) dos dois campos.

COMMENTS