São Paulo libera VUCs das restrições

São Paulo libera VUCs das restrições

Maior cidade do País liberou os VUCs das restrições e deu mais prazo sem multas para os caminhões na Marginal Tietê. Autuações começam só em março

Braspress inaugura novo terminal em Salvador (BA)
Circulação de caminhões terá restrições na área central do Recife (PE)
Concessionária Iveco oferece condições especiais para veículos Euro 3

A questão das restrições aos caminhões em São Paulo, motivo de preocupação para os transportadores que operam ou passam pela cidade, ganhou episódios novos nos primeiros dias do ano.

Inconformados com o grande número de proibições aos veículos de carga na cidade, principalmente com o anúncio das restrições também na Marginal Tietê, empresários, representados pelo SETCESP, Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região, buscam alternativas para que as medidas não tenham um impacto devastador em suas operações.

A boa notícia para os caminhoneiros e transportadores que atuam em São Paulo é que, diante dos argumentos da entidade em prol do abastecimento urbano, aliada a outros representantes de empresas, autônomos e trabalhadores do transporte, a Prefeitura decidiu relaxar as restrições, pelo menos até março.

Segundo o SETCESP, a Secretaria Municipal de Transportes decidiu estender até o dia 1º de março o período “educativo” das restrições, quando então as multas serão efetivamente aplicadas. Na Marginal Tietê e em todas as outras vias restritas, os caminhões não poderão circular, de segunda a sexta, das 4h às 10h e das 16h às 22h, e, aos sábados, das 6h às 14h.

Além de aumentar o prazo para adequação das empresas, a Prefeitura de São Paulo concedeu mais duas reivindicações aos transportadores. Atendeu a um pedido histórico do SETCESP, liberando os VUCs (Veículos Urbanos de Carga, com até 6,3 metros entre parachoques) das restrições e criando uma comissão que irá se reunir semanalmente para debater os impactos das restrições nas operações e no abastecimento urbano.

Para o presidente do SETCESP, Francisco Pelucio, a Prefeitura deu um sinal de bom senso e de sensibilidade em relação aos assuntos da mobilidade urbana e do abastecimento da cidade. “Com essas medidas, a Prefeitura mostra que está aberta ao diálogo e preocupada com os impactos das restrições no abastecimento da cidade. O SETCESP e as entidades parceiras continuam com a luta em prol do transporte de cargas na cidade”, comenta Pelucio.

COMMENTS