Com investimento de R$ 12 mi, centésima concessionária Iveco é também a primeira sustentável do País

Com investimento de R$ 12 mi, centésima concessionária Iveco é também a primeira sustentável do País

Instalada em um terreno de 15 mil metros quadrados em Jundiaí (SP), a nova loja espera que o custo a mais da obra (entre 10 e 15%) seja compensado em menos de dois anos

Concessionária Mercedes-Benz investe R$ 8 milhões em revenda de ônibus e comerciais leves
Número de mortes na rodovia Régis Bittencourt cai 19%
Volvo realiza feirão online de caminhões seminovos

 

Na quinta-feira (1), a Iveco inaugurou sua concessionária de número 100. Localizada na cidade de Jundiaí (SP), a loja, que faz parte do grupo Mercalf, é também a primeira sustentável do Brasil. No total, foram investidos cerca de R$ 12 milhões e os funcionários tiveram grande participação nesse projeto. “Nada mais bonito do que celebrar este número histórico com a relevância da sustentabilidade”, comenta Orlando Merluzzi, diretor de desenvolvimento e gestão de rede da Iveco. “Para nós, essa inauguração é um marco”, afirma Marco Mazzu, presidente da Iveco Latin America.

A concessionária verde, de propriedade dos empresários Hélio e Cristina Cangueiro, foi erguida sob um amplo conceito de respeito ao meio ambiente e de acessibilidade. Desde a ocupação do solo até as soluções de construção, utilização dos materiais, da água e da energia elétrica. Um dos exemplos da tecnologia empregada na sustentabilidade das operações é o aquecimento solar. “A energia solar é utilizada para aquecer a água da lavagem dos caminhões, o que diminui a necessidade do uso de produtos químicos”, afirma o executivo. Além disso, o sol também alimenta as baterias de uma parte dos postes de iluminação externos e aquece a água dos chuveiros.

No saguão principal, onde fica o showroom da concessionária, uma das paredes é formada de vidro. Assim, o espaço pode receber o máximo de incidência da luz do dia. “Jundiaí fica na região de maior insolação do estado de São Paulo e vamos nos aproveitar para reduzir o uso de luz elétrica”, comenta Cristina, que também é arquiteta.

Ainda nessa mesma área, foi instalada uma “parede verde” – uma espécie de jardim vertical com plantas ornamentais. Essa estrutura, que consome aproximadamente dois litros de água por dia por meio de um sistema de gotejamento, além de seu apelo estético, ajuda a diminuir a temperatura do ambiente e na manutenção da umidade natural do ar.

Na cobertura do espaço, que além do showroom abriga também a área administrativa, os empresários instalaram um “telhado verde”. Ocupando uma área de 200 metros quadrados, o gramado foi construído sobre camadas de materiais orgânicos e minerais reciclados que filtram e recolhem a água da chuva, armazenando-a em cisternas, para a posterior utilização nos vasos sanitários. Essa instalação ajudou reduzir em até 6 graus a temperatura do ambiente imediatamente inferior.

“Podemos chamar esse projeto de ‘piloto’ e avaliar a portabilidade de várias dessas ideias para outras concessionárias”, comenta Mazzu. “Estamos na fase de avaliar o sucesso e definir a tipologia para novas construções e upgrade das lojas já existentes.”

Água

“A ideia é não desperdiçar nenhuma gota”, afirma Cristina. Por isso, todo o terreno de 15 mil metros quadrados foi recoberto por blocos intertravados e concregrama (que é uma forma de concreto vazada com grama), instalados sobre uma camada flutuante de areia, que permite a absorção natural da água da chuva. Assim, evita-se a impermeabilização do solo e a sobrecarga de galerias fluviais públicas.

O grande telhado da oficina também recebeu estrutura para a captação de água. Ele tem calhas dedicadas para essa captação, que é direcionada para uma caixa d’água de 15 mil litros não potável. De lá, ela é direcionada para a lavagem dos pátios, caminhões, reuso nas bacias sanitárias e também para a irrigação dos jardins.

 

Além disso, todas as torneiras da nova loja são equipadas com sistema de temporizador, economizando até 20% em relação às torneiras comuns. “Uma torneira pingando durante um mês pode gastar muitos litros de água”, afirma a arquiteta. “Quando alguém para pensar e percebe que uma concessionária gasta milhares de litros de água por dia, pode entender a necessidade da economia”, continua.

Funcionários

A legislação ambiental em vigor já exige que sejam tomadas algumas medidas para preservação dos recursos naturais. O óleo e a graxa que contaminam a água, por exemplo, é separado. Esse resíduo é armazenado e já tem destino certo: é enviado para uma empresa especializada na produção de mantas asfálticas.

Conforme as obras foram avançando, os colaboradores se sentiram empolgados e passaram a dar sugestões aos empresários, que adotaram grande parte delas. Um exemplo é o uso de portas feitas de madeira de reflorestamento. Outro, a adoção de uniformes feitos com tecido produzido com garrafas PET.

Futuro

Para os próximos anos, a Iveco pretende continuar com seu processo de expansão. “Teremos de 130 a 140 concessionárias nos próximos três ou quatro anos, acompanhando o crescimento da Iveco”, afirma Mazzu. Hoje, a Iveco Latin America rpresenta 20% do volume mundial da montadora.

COMMENTS