Leilão de objetos da VASP arrecada R$ 8 mil

Artigos como quadros antigos, roupões, uniformes e maquetes de aviões estavam guardados no galpão administrativo da empresa, localizado ao lado do aeroporto de Congonhas (SP)

Helibras recebe autorização para montagens de caixas de transmissão de helicópteros
Azerbaijan Airlines adquire primeiro jato Embraer 190
Turkish Airlines lança nova rota para Iraque

Foram vendidos todos os itens dos 20 lotes de objetos da antiga companhia aérea VASP, realizado no dia 19/9, em São Paulo. Os lances iniciais foram de R$ 173,00. Resultado superou as expectativas dos organizadores.

De acordo com o Daniel Carnio Costa, juiz da 1ª Vara de Falências do Estado de São Paulo e responsável pelo leilão, a arrecadação total foi de aproximadamente R$ 8 mil.

“O leilão foi muito bem aceito. Tivemos um ágio de mais de 100% em relação ao que estava previsto”, afirmou o juiz.

Dentre os objetos dos lotes que foram a leilão nesta segunda-feira estavam quadros antigos, roupões, uniformes de aeromoças e comandantes, maquetes de aviões, brevês de comandantes, talheres e bonés, além de broches, blocos e cartões com a logomarca da VASP.

Os objetos estavam guardados no galpão administrativo da empresa, localizado ao lado do aeroporto de Congonhas.

“Além de arrecadarmos valores para a massa falida, com este leilão a Justiça também preserva a memória da aviação civil brasileira”, ressaltou o juiz auxiliar da corregedoria, Marlos Augusto Melek.

O valor arrecadado irá para uma conta judicial vinculada ao processo de falência da antiga companhia aérea e será utilizado no pagamento dos credores da empresa. Com isso, a ideia é acelerar a resolução de processos relacionados à VASP, desobstruindo o Judiciário.

A iniciativa de leiloar os objetos da empresa falida faz parte do programa Espaço Livre Aeroportos, que é uma parceria da Corregedoria Nacional de Justiça com a Infraero (Empresa de Infraestrutura Aeroportuária), Secretaria de Aviação Civil – vinculada à Presidência da República – Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Procuradoria-Geral da República, TJSP (Tribunal de Justiça de São Paulo), Ministério Público do Estado de São Paulo e Tribunal de Contas da União.

COMMENTS